Menu
Busca Dom, 17 de fevereiro de 2019
(67) 9.9928-2002
INVESTIGAÇÃO

RECEITA VAI INVESTIGAR AUDITORES QUE INVESTIGAM GILMAR MENDES

Por decisão do secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, a Corregedoria do órgão irá apurar as circunstâncias da investigação que auditores fiscais estão fazendo sobre o ministro Gilmar Mendes; Receita abriu um procedimento para identificar "focos de

08 fevereiro 2019 - 17h05

Gilmar Mendes pediu providências ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli, na manhã desta sexta-feira, com a divulgação pela revista "Veja" de um documento da Receita apontando indícios da prática dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência por parte de Gilmar e à sua esposa, Guiomar Mendes.

A Receita abriu um procedimento para identificar "focos de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência" relativos a Gilmar e a Guiomar. O documento diz ainda que o "tráfico de influência normalmente se dá pelo julgamento de ações advocatícias de escritórios ligados ao contribuinte e seus parentes, onde o próprio magistrado ou um de seus pares facilita o julgamento".

Leia, abaixo, matéria do Conjur sobre o assunto:

Gilmar Mendes pede investigação sobre abuso de poder da Receita

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, classificou a divulgação de um relatório feito pela Receita Federal sobre seu patrimônio como um abuso de autoridade e uma estrategia deliberada para atacar sua reputação. O ministro pediu abertura de investigação pela Procuradoria-Geral da República e pela Receita Federal. Gilmar enviou também ofício ao presidente do STF, Dias Toffoli. 

O site da revista Veja divulgou nesta sexta documento que em que a Receita Federal quebra o sigilo do ministro e de sua mulher e, "sem qualquer elemento fático" — como destacou Gilmar — alude a pretensos “focos de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência” do casal.

Em seu ofício, o ministro Gilmar afirma que o ataque contra membros do Judiciário não é novidade e sempre se dá em um contexto no qual a defesa dos direitos fundamentais e das garantias constitucionais desagrada alguns setores e agentes. 

"É evidente que num Estado de Direito todo cidadão está sujeito a cumprir as obrigações previstas em lei e, consequentemente, está sujeito à regular atuação de fiscalização dos órgãos estatais. O que causa enorme estranhamento e merece pronto repúdio é o abuso de poder por agentes públicos para fins escusos, concretizado por meio de uma estratégia deliberada de ataque reputacional e alvo pré-determinados", afirma Gilmar.

Em entrevista à Veja, Guiomar Mendes, mulher do ministro e advogada, afirma: “Ainda dominada por profunda perplexidade e indignação, tenho a lhe dizer que minha atuação profissional sempre se pautou pelo respeito às instituições e àqueles que as integram e pela observância aos valores éticos e morais inerentes ao exercício da advocacia. Não bastassem as minhas palavras, coloco à sua disposição as Reuniões de Contas do escritório que me dizem respeito, com a devida relação dos processos em que atuei e respectivos valores recebidos, bem como movimentação bancária e declarações de rendimentos apresentadas junto à Receita Federal com discriminação detalhada de bens e valores absolutamente compatíveis com os ganhos que obtive”.

Gilmar Mendes pede que o presidente do STF adote medidas urgentes para esclarecer o episódio. Com informações, Brasil 247.

Corumbá Cristo Redentor

Deixe seu Comentário

Leia Também

Em Campo Grande
Árvore no meio do caminho impede passagem de pedestres e ciclistas
Em Campo Grande
Guarda Municipal é preso por fazer confusão e dar tiros para cima em estado de embriaguez
Homem é executado na frente da mulher em Dourados
Encontrado
Corpo do jogador Emiliano Sala será cremado na Argentina
Vaticano
Cardeal é expulso pelo Papa depois de acusações de abusos sexuais contra seminaristas
Sujeira na capital
Moradores realizam mutirão de limpeza em bairro da Capital
Interior
Jovem de 19 anos é morto a tiros em confronto com policiais militares
Mundo
Eleição na Nigéria é adiada horas antes do início da votação
Ataque Internacional
Ataque jihadista em Burkina Faso deixa pelo menos seis mortos
OPERAÇÃO DOLOS
Em operação policiais prendem quatro em flagrante delito por tráfico de drogas.