Menu
Busca Sex, 17 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Brasil e Mundo

BID sugere a Brasil e América Latina testagem em massa em transição do Covid-19

14 maio 2020 - 15h00Por Reuters/Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) sugere ao Brasil e aos demais países da América Latina e do Caribe que adotem um isolamento generalizado para controlar a propagação do novo coronavírus e, no momento da transição para o livre deslocamento, testem a população em larga escala para permitir a detecção de pacientes assintomáticos e a identificação de agrupamentos e cadeias de contatos.

 

No novo relatório “A política de combate à COVID19: Recomendações para a América Latina e o Caribe”, obtido pela Reuters e divulgado nesta quinta-feira, o BID defende que, em paralelo a essas medidas, é imperativo garantir um piso mínimo de renda para todas as famílias, assim como preparar respostas fiscais, financeiras e monetárias para proteger trabalhadores e empresas.

O banco defendeu que se usem programas e instrumentos já existentes e citou que alguns países da região, como o Brasil, já têm programas de transferência condicionada de renda (TCR) de grande envergadura.

“Nesses países, a cobertura das TCR poderia ser ampliada. Essa política é uma forma prática de transferir recursos a famílias que são, em média, mais pobres do que outras. No entanto, também tem limitações”, afirmou o documento.

 

Entre outras recomendações, a instituição sugere uma atuação coordenada dos países, com a adoção de medidas de transparência e comunicação para que gestores conquistem o engajamento da população, especialmente em medidas de isolamento social, conforme nota divulgada pela assessoria do banco.

“A criação de unidades de coordenação no mais alto nível para monitorar metas e prazos, manter altos níveis de transparência nas despesas e contratações, assim como assegurar a comunicação contínua e coerente estão entre as recomendações”, informou a nota.

Diante de um avanço rápido no Brasil nos casos de infecção e mortes por Covid-19, o Ministério da Saúde decidiu intensificar a testagem em massa da população.

Não tem havido, contudo, uma ação coordenada efetiva entre o governo federal e Estados e municípios na adoção de medidas de isolamento social e de transição para a retomada das atividades econômicas.

 

Por um lado, o governo federal tem sido o principal responsável por programas mais amplos de auxílio, com medidas e recursos a entes federados e a trabalhadores e empresas paralisados pela pandemia —o documento cita as iniciativas adotadas.

Por outro, o presidente Jair Bolsonaro tem defendido publicamente uma imediata retomada das atividades e criticado fortemente a atuação de governadores e prefeitos que decretaram medidas mais duras de isolamento social.

Nesta quinta-feira, o presidente que não tem seguido ele próprio recomendações de distanciamento social em diversas aparições públicas, afirmou que o lockdown —forma mais restrita de isolamento, já adotada em pelo menos três zonas metropolitanas no país— é “o caminho do fracasso”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Rio de Janeiro
Apoiadores de Bolsonaro fazem ato em Copacabana, no Rio de Janeiro
São Paulo
Manifestantes fazem ato na Av. Paulista a favor de Bolsonaro
Brasília
PM informa que restabeleceu bloqueio na Esplanada dos Ministérios
Tribunal de Justiça
Fux manda retirar bandeira do Brasil Império hasteada na sede do TJ de Mato Grosso do Sul
Brasília
Esplanada terá esquema especial de segurança para protestos deste feriado
Brasíl
7/9: Moraes bloqueia contas de acusados de organizar atos antidemocráticos
MS já vacinou 50% dos jovens de 12 a 17 anos contra covid com a 1° dose – Feriado
MS
Secretaria de Estado de Saúde confirma três casos da variante Delta em Mato Grosso do Sul
STF
Urgente: Moraes determina prisão de ex-PM que o ameaçou de morte
Meio Ambiente
Ganhou prazo para resolver o problema, sob pena de multa e improbidade do prefeito