Menu
Busca Seg, 09 de dezembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Prisão

CCJ aprova prisão em segunda instância

21 novembro 2019 - 13h13Por Plantão de Notícias

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (20) relatório favorável a uma proposta que permite a execução da pena de prisão logo após a condenação do réu na segunda instância do Judiciário.

O texto foi aprovado por 50 votos a 12 e segue agora para uma comissão especial.

Depois, ainda terá de ser discutido no plenário da Casa.

Há duas semanas, a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu de forma contrária e vinculou o início do cumprimento da pena ao chamado trânsito em julgado (momento em que se esgotaram as possibilidades de recurso do réu).

Nesta quarta, a CCJ analisou um parecer complementar apresentado pela deputada Caroline de Toni (PSL-SC).

A relatora se manifestou favoravelmente a uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que modifica os artigos 102 e 105 da Constituição, acabando com o recurso extraordinário, apresentado ao STF, e o recurso especial, apresentado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Na prática, pela PEC, o réu só poderá recorrer até a segunda instância e, depois disso, o processo transitará em julgado.

O processo até poderá seguir para o STF ou STJ, mas por meio de uma nova ação para questionar aspectos formais da sentença.

 

G1

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
PM agredindo uma menina viralizou nas redes sociais
UFC
Jairzinho desfigurou seu oponente na principal luta de sábado
Milicianos
O poder Público ausente, com isso surgem os milicianos
Polícia
Caminhoneiro fica refém de ladrões do veículo
Campo Grande
Psicólogos fazem manifestação contra Trad
Causas sociais
Faleceu padre defensor dos indígenas paraguaios
Dourados
Sindicato fará ato contra atraso e parcelamento de salário de professores.
Campo Grande
Na época das eleições ele vai aparecer, aí ele terá o que merece.
Campo Grande
fogo no restaurante da rua sete
Política
Fake foi estratégia da eleição de Bolsonaro e seus seguidores do PSL.