Menu
Busca Sáb, 24 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002
BRASIL E MUNDO

Coreia do Norte pede ajuda internacional por falta de comida no país

Espera-se que em 2019 o país sofra carência de 1,4 milhão de toneladas de alimentos básicos como trigo, arroz, batata e soja.

22 fevereiro 2019 - 12h20

O governo da Coreia do Norte pediu ajuda às Nações Unidas e outras organizações humanitárias diante da falta de comida no país, informou a ONU nesta quinta-feira (21).

"O governo solicitou assistência das organizações humanitárias internacionais presentes no país para responder ao impacto da situação de segurança alimentar", explicou o porta-voz Stéphane Dujarric.

Segundo Dujarric, a ONU está em contato com as autoridades norte-coreanas para analisar o impacto que essa falta de comida pode ter na população mais vulnerável e atuar de forma rápida para suprir as necessidades humanitárias.

Este ano, houve uma queda na procura de turistas internacionais por causa da crescente troca de ameaças entre EUA e Coreia do Norte, diz agente de viagens — Foto: Marcelo Druck /BBC
Este ano, houve uma queda na procura de turistas internacionais por causa da crescente troca de ameaças entre EUA e Coreia do Norte, diz agente de viagens — Foto: Marcelo Druck /BBC

 

O porta-voz disse que, segundo os números informados por Pyongyang, espera-se que em 2019 o país sofra carência de 1,4 milhão de toneladas de alimentos básicos como trigo, arroz, batata e soja.

Dujarric afirmou que a ONU está preocupada com a "deterioração da situação de segurança alimentar" na Coreia do Norte e está analisando com o governo.

O país asiático foi palco nos anos 1990 de uma forte crise de fome na qual, segundo diferentes estimativas, entre 250 mil e mais de 3 milhões de pessoas morreram.

 

Sanções à Coreia do Norte

Coreia do Norte não avisa sobre seus testes mísseis, o que impede que sua rota seja conhecida — Foto: STR / KCNA VIA KNS / AFP
Coreia do Norte não avisa sobre seus testes mísseis, o que impede que sua rota seja conhecida — Foto: STR / KCNA VIA KNS / AFP

A Coreia do Norte é alvo de pesadas sanções internacionais como consequência do seu programa nuclear e de mísseis. Embora existam isenções humanitárias, muitos analistas reconhecem que as restrições contra o regime também afetam a população.

Alguns países, entre eles a Rússia, pediram recentemente a suspensão de algumas dessas sanções para incentivar Pyongyang a avançar nas conversas para a desnuclearização com os Estados Unidos, que quer ver resultados concretos antes de continuar esse processo.

Kim Jong-Un e Donald Trump se cumprimentam durante reunião ao lado de assessores, em Singapura, na terça-feira (12) — Foto: Kevin Lim/The Straits Times via AP
Kim Jong-Un e Donald Trump se cumprimentam durante reunião ao lado de assessores, em Singapura, na terça-feira (12) — Foto: Kevin Lim/The Straits Times via AP

O presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, terão na semana que vem a segunda reunião em Hanói (Vietnã). Os dois pretendem acertar uma "definição compartilhada" do que envolve a desnuclearização, depois de meses de estagnação nas negociações.

Trump e Kim participaram em junho do ano passado de uma histórica cúpula em Singapura para iniciar as conversas.

Pyongyang e Washington permanecem tecnicamente em conflito desde a Guerra da Coreia (1950-1953), que terminou com um armistício assinado pelo Comando das Nações Unidas, apoiado pelos EUA, a Coreia do Norte e o Governo da China, e que nunca foi substituído por um tratado de paz. Com informações, G1.

violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana
Saúde
Covid-19: Brasil soma 541,2 mil mortes e vai a 19,3 milhões de casos
Violência
Em vídeo exclusivo, DJ Ivis pede perdão a Pamella e a todas mulheres
Tempo
Ela vem: frente fria vai derrubar temperaturas para menos de 3ºC e causar geada em MS, diz previsão