Menu
Busca Qua, 22 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
U.S.A.

Eleições dos EUA 2020: perto da definição do vencedor, protestos esquentam no Arizona: 'Pessoas estão fortemente armadas'

06 novembro 2020 - 21h00Por BBC news

O entorno do departamento eleitoral do condado de Maricopa, no Estado americano do Arizona, está ficando "agitado", segundo a repórter da BBC News Regan Morris, que está no local.

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, lidera no Arizona com uma vantagem de 1,4%, em um universo de 93% votos contados, uma liderança surpreendente em um Estado tradicionalmente republicano.

Alex Jones, conhecido por comandar um site de orientação conservadora conhecido por propagar teorias das conspiração, está liderando manifestantes com gritos como "1776!" — em referência ao ano da Revolução Americana — e "Pelosi burn in hell!" ("Pelosi, queime no inferno") — atacando a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi.

Do outro lado da rua, um grupo também canta o hino nacional dos Estados Unidos.

Foto ampla mostra dezenas de manifestantes pró-Trump na rua, várias portando bandeiras
 
Legenda da foto,

Protestos tomam entorno do departamento eleitoral em Maricopa há dias — e estão crescendo. O Arizona é um Estado que permite portar armas em público. Muitas pessoas na manifestação em Maricopa estão armadas — algumas fortemente armadas, com fuzis.

 

Os protestos tomam o local há dias e estão crescendo. Muitos dos líderes são de outros Estados, como o próprio Jones, do Texas, e Charlie Kirk, de Illinois.

Um apoiador de Biden, usando material de campanha, passou sozinho em meio a manifestantes e foi alvo de vaias. Ao mesmo tempo, um grupo de mulheres gritou a sugestão de que ele recebesse um abraço, estimulando os presentes a ficarem calmos.

Pule Twitter post, 1

Final de Twitter post, 1

Pule Twitter post, 2

Final de Twitter post, 2

Mas os protestos são até agora pacíficos em geral, embora mesários tenham sido escoltados ao entrar e sair do departamento eleitoral.

Entretanto, conforme mostrou a BBC News Brasil em setembro, especialistas e autoridades demonstraram desde o início da campanha eleitoral preocupação com uma escalada da violência nas ruas, marcadas pela polarização política e pela presença de manifestantes armados.

Ao longo desta semana de votação e apuração, outros locais do país também estão recebendo manifestantes favoráveis ao atual presidente, como no condado de Clark, em Nevada — Estado onde Biden tem uma ligeira vantagem, mas apoiadores de Trump estão acompanhando de perto cada voto apurado com a esperança de uma virada.

Protestos pró-Biden

Estado que pode definir a vitória de Biden, a Pensilvânia também teve suas ruas tomadas por manifestantes, neste caso, favoráveis ao democrata.

Um vídeo que está circulando na internet mostra dezenas deles dançando a música "YMCA", do grupo Village People. Bastante usada por Trump em sua campanha, a faixa também é cantada por apoiadores do republicano, na esperança de uma reeleição.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Eleição 2022
Senado aprovou novo Código Eleitoral e vai à sanção presidencial.
Economia
Dólar fecha acima de R$ 5,30 após anúncio do Banco Central americano
CPI da Covid
CPI: diretor da Prevent Senior é acusado de mentir e passa à condição de investigado
Brasíl
Sem coligações, CCJ do Senado aprova PEC da reforma eleitoral
Polícia Federal
A Operação Apate cumpre mandados em São José dos Campos
Brasilia
CPI da Covid-19; início da sessão com "rasgação de seda" entre senadores da oposição tentando reverter a impressão negativa da briga causada por senadora e ministro
Brasília
Briga na CPI: presidente da CPi fala que Bolsonaro causa vergonha, senador Marcos Rogério rebate dizendo que a CPI da Covid que faz vergonha a muito tempo.
Tempo e temperatura
Primavera começa com tempo claro e ensolarado em Mato Grosso do Sul
Brasília
CPI termina com sessão em briga, agressão verbal entre senadores e Ministro da CGU.
CPI no Senado Federal
A diferença de pensamento entre os Ministros do STF, Carmen, Nunes Marques e Rosa Weber.
Ministros divergem sobre obrigação de convocados à CPI da Covid