Menu
Busca Seg, 06 de julho de 2020
(67) 9.9928-2002
Brasíl e Mundo

EUA rompem oficialmente com OMS e acusam China de espionagem

Segundo presidente Donald Trump, organização está sendo controlada pela China e diz que país asiático mentiu e escondeu informações sobre pandemia

29 maio 2020 - 16h00Por R7

Os Estados Unidos estão encerrando a parceria e ligação com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a partir desta sexta-feira (29), depois que o presidente americano Donald Trump disse que a organização está sendo controlada pela China.

Em um rápido pronunciamento no jardim da Casa Branca, Trump acusou a China de ter mentido sobre o coronavírus e ter permitido que o vírus se espalhasse pelo mundo inteiro. Ele também disse que o país asiático tem total controle da OMS, apesar de investir muito menos na organização que os EUA.

O presidente já havia congelado as doações para a o OMS, depois de criticar o órgão e acusá-lo de não fazer o suficiente para conter a pandemia. Trump nunca decretou quarentena nacional, é contra o isolamento social e pede a reabertura da economia do país, medidas que são criticadas pela OMS.

Hoje, ele disse que o país vai transferir os fundos e investimentos para outras organizações de saúde, mas não nomeou os destinatários do dinheiro.

Trump também acusou a China de tentar roubar os segredos americanos e disse que vai proteger o avanço científico e tecnológico do país e o progresso para um tratamento contra a doença.

Fim da autonomia de Hong Kong

O presidente também comentou sobre a relação do país com Hong Kong, que perdeu o status de região autônoma na quarta-feira (27). Trump lamentou a decisão unilateral da China de ter “cerceado a liberdade” de Hong Kong, mas disse que vai retirar os acordos que tinha com a região.

Segundo Trump, Hong Kong estava “próspera e segura como uma região independente”, mas agora é vista como parte do governo chinês.

Trump vai começar a investigar e estudar o registro de empresas chinesas que estão presentes nos EUA para proteger investidores de pessoas que “não seguem as mesmas regras” que eles. As sanções também serão aplicadas na entrada de alguns chineses que podem ser vistos como perigo para os EUA. Oficiais de Hong Kong vão entrar na lista, lamentou o presidente.

RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Rio de Janeiro
Comissão do impeachment de Witzel aprova retomada do prazo de defesa
Coxim
Mataram Zé Carlos gari que se destacava em denunciar injustiças contra o povo de Coxim.
Mundo
Austrália fecha fronteira estadual pela 1ª vez em 100 anos
Campo Grande
O prefeito de Campo Grande incentiva uso de medicamento para combater Covid 19
O medicamento não é recomendado pela Anvisa, mas pode ser adquirido nas farmácias.
Dourados
Preso o acusado do assassinato do secretário Municipal se Dourados
Geral
Martha Rocha a 1a miss Brasil, faleceu aos 81 anos, em Niterói, Rio de Janeiro
Internacional
Premiê da Nova Zelândia lança campanha com promessa de empregos e financiamento
Brasíl e Mundo
Índia desiste de reabertura do Taj Mahal citando riscos do Covid 19
Loteria
Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 33 milhões A quina teve 75 apostas vencedoras cada uma receberá R$ 36.939,97
Campo Grande
Apesar de muito dinheiro recebido para combater a pandemia do Covid 19, a capital se tornou o epicentro do novo Coronavirus