Menu
Busca Sb, 07 de dezembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Lava jato

Ex-presidente Horácio Cartes não quer ser preso

26 novembro 2019 - 12h29Por Reuters

O ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes disse nesta segunda-feira (25) que está aberto a uma investigação de promotores do seu país depois de um juiz brasileiro expedir um mandado de prisão contra ele na semana passada como parte das investigações da operação Lava Jato.

O mandado de prisão foi parte de uma nova fase da Lava Jato no Rio de Janeiro intitulada Patrón, que teve como alvo doleiros que contribuíam com lavagem de dinheiro.

Leia também: PF prende doleiro e mira ex-presidente do Paraguai

O juiz federal Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio, alegou que Cartes, magnata do setor de tabaco que governou o Paraguai de 2013 a 2018, ajudou o doleiro Dario Messer — conhecido como "doleiro dos doleiros" — antes de Messer ser preso em julho, em São Paulo.

Carta à promotoria

Em uma carta à promotoria paraguaia, Cartes pediu que o órgão investigue o caso, que ele disse envolver uma conduta que ocorreu "inteiramente" em território paraguaio.

"Eu me apresento e me coloco à disposição do Ministério Público para que... os fatos e comportamentos atribuídos à minha pessoa sejam investigados e julgados", escreveu Cartes.

Na carta, Cartes se apresenta como um senador vitalício e senador eleito, status que lhe garante imunidade de ser processado. No entanto, sua condição como membro do Senado é amplamente debatida no país por políticos e juízes.

Mira em doleiros

A operação Patrón mirou em doleiros envolvidos no esquema de corrupção do ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral, que está preso desde 2017. Messer é considerado peça-chave nesse caso.

Cartes, de 63 anos, é considerado um dos homens mais ricos do Paraguai e mantém influência política. Durante seu mandato ele também fez mudanças no Judiciário do país, incluindo a nomeação do atual chefe da Procuradoria-Geral do país.

Horácio Cartes teria supostamente "comprado" senadores para afastar o então presidente Lugo.

Cartes é uma pessoa que iniciou suas atividades como cambisia, depois criou um casa de câmbio e criou Banco Amanvay. Tem fábricas de cigarros e muitos lambe botas.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENERGISA
Energisa é campeã em desrespeito ao consumidor
Caso Daniel
A Justiça e uma coisa e Judiciário é outra coisa
Fronteira violenta
A cabeça foi cortada ao meio e estava com as outras partes do corpo no tambor.
Campo Grande
Para vender áreas públicas Trad vai acertar com vereadores
Campo Grande
Trad e seus vereadores remanejam 240 milhões
Campo Grande
Trad e suas taxas para o povo pagar
Fronteira
"Quero a cabeça de meu filho" disse a mãe desconsolada
Inflação
A carne foi o item que mais subiu o preço
Fronteira
Dois assassinatos nesta sexta na fronteira
Judiciário
O magistrado corrupto é um "câncer" no judiciário