Menu
Busca Qui, 25 de fevereiro de 2021
(67) 9.9928-2002
Alimentação

Governo federal se compromete com isenção de exportações para o PMA

Programa Mundial de Alimentos, da ONU, auxilia milhões de pessoas de todo mundo.

23 janeiro 2021 - 12h00Por Agência Brasil EBC

O governo brasileiro garantiu que não vai impor restrições a exportações de produtos ligados ao Programa Mundial de Alimentos (PMA). O compromisso visa “facilitar os fluxos internacionais de bens e serviços necessários para a resposta à pandemia” e garantir às populações mais necessitadas o acesso à alimentação.

Segundo o governo federal, o mesmo compromisso também foi firmado por outros 78 membros da Organização Mundial do Comércio (OMC). A organização conta com 164 membros no total. 

A proibição ou restrição às exportações. O conjunto dos copatrocinadores representa mais de 70% das exportações agrícolas mundiais”, afirmaram os dois ministérios.

“O contexto da pandemia de covid-19 e a imposição de medidas de proibição ou restrição às exportações de produtos agrícolas em 2020 ampliaram os desafios já existentes para as operações do PMA. O Programa estima que o número de pessoas em situação de insegurança alimentar aguda nos países em que opera aumentou para 270 milhões até o fim de 2020, o que representa um aumento de 82% em relação ao nível pré-covid-19”, acrescentam as pastas.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a pandemia de covid-19 aumentou o quadro de desnutrição na região mais populosa do mundo, a Ásia-Pacífico. O aumento nos preços de frutas, vegetais e derivados do leite dificultou o acesso dos mais pobres a uma alimentação saudável. Segundo relatório da ONU, a situação é mais grave para mães e crianças. Segundo a entidade, dois bilhões de pessoas estão sendo afetadas na região.

O PMA é um programa da ONU de ajuda alimentar multilateral, que tem a participação de países-membros das Nações Unidas. O programa recebe doações de governos, de empresas e doações anônimas e doa alimentos a populações carentes em regiões pobres do mundo e presta assistência em situações de emergência. Só em 2019, o programa atendeu 97 milhões de pessoas em 88 países. O objetivo é alcançar a segurança alimentar e acabar com a fome até 2030.

Edição: Aline Leal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Ainda pouco conhecida, síndrome rara pode atingir jovens e crianças com Covid-19
Tempo e temperatura
Quarta-feira de tempo claro e máxima de 37°C no Estado
Agricultura Familiar
Semagro firma convênio com a Caixa para orientar agricultores na contratação do Pronaf
Polícia
Com presença do secretário de Segurança, Conselho Superior da Polícia Civil empossa novo Delegado-Geral
Pecuária
MS terá conselho municipal de saúde animal visando evolução do status sanitário da Aftosa
Covid 19 em MS
Com mais 1.185 novos registros, MS se aproxima dos 180 mil casos
Assistência Social
Sedhast lança Resolução de programa que concede benefício social para acadêmico indígena
Obras
Sede do Detran-MS passará por reforma a partir desta terça-feira
Maquinário
Motoniveladoras entregues pelo Estado potencializam a agricultura familiar, dizem prefeitos
Interior
Famílias de Paranaíba receberam o título de propriedade da casa