Menu
Busca Ter, 07 de julho de 2020
(67) 9.9928-2002
Internacional

Morre Alexei Leonov, primeiro humano a caminhar no espaço

O cosmonauta russo tinha 85 anos e morreu após enfrentar uma longa doença. A primeira caminhada espacial foi feita do lado de fora de uma espaçonave em 1965.

11 outubro 2019 - 15h30Por PORTAL G1

O cosmonauta russo Alexei Leonov, o primeiro humano a caminhar no espaço em 1965, morreu nesta sexta-feira (11) aos 85 anos de idade após enfrentar uma longa doença, informou a agência de notícias russa TASS.

O enterro deverá ser em Moscou na terça-feira, informou o Centro de Preparação de Cosmonautas.

Em 1965, Leonov foi o cosmonauta que caminhou do lado de fora da espaçonave. Ele fez um deslocamento de dois a três metros de distância ao longo 12 minutos e 9 segundos, de acordo com a agência de notícias Reuters.

Leonov foi também o comandante da primeira missão espacial conjunta entre Rússia e Estados Unidos.

 

Caminhada no espaço

Em 2015, 50 anos após sua façanha, Alexei Leonov lembrou à agência de notícias AFP o momento em que flutuou "no escuro profundo", das estrelas "em toda parte" e do "Sol ofuscante". A missão era a Voskhod-2.

"Filmei a Terra, perfeitamente redonda, o Cáucaso, a Crimeia, o Volga. Era lindo, como pinturas de Rockwell Kent", disse, referindo-se ao pintor americano conhecido por suas linhas limpas e cores suaves.

Seu retorno à nave foi mais complicado do que o esperado: seu traje se expandiu e ele não conseguiu mais operar a câmera. Sem esperar, decidiu reduzir a pressão em seu traje e conseguiu entrar de cabeça, ao contrário do planejado. O cosmonauta perdeu 6 quilos.

Na cabine, o sistema de descida automática não funcionava. Com seu companheiro de equipe, retornou à Terra em modo manual, pousando nos Urais, a 2 mil quilômetros do local planejado no Cazaquistão.

"Esperamos três dias na floresta antes de sermos repatriados, e a rádio soviética garantia que estávamos de férias após o voo", lembrou em 2015, rindo, segundo a AFP.

 

Missão Estados Unidos - Rússia

 
O comandante da tripulação soviética da Soyuz, Alexei Leonov (esquerda) e o comandante da tripulação americana da Apollo, Thomas Stafford (esquerda), apertam as mãos após as manobras de atracação da Apollo-Soyuz, em 17 de julho de 1975 — Foto: HO / NASA / AFP

O comandante da tripulação soviética da Soyuz, Alexei Leonov (esquerda) e o comandante da tripulação americana da Apollo, Thomas Stafford (esquerda), apertam as mãos após as manobras de atracação da Apollo-Soyuz, em 17 de julho de 1975 — Foto: HO / NASA / AFP

Leonov voou para o espaço novamente em 1975, comandando a metade soviética da missão Apollo-Soyuz, o primeiro vôo espacial dos Estados Unidos com a União Soviética. A missão marcou o início de uma cooperação que dura até hoje.

A viagem ocorreu em um momento em que a Rússia e os EUA - que passaram parte da Guerra Fria em uma corrida espacial - estavam seguindo uma política de distensionamento.

O presidente russo, Vladimir Putin, conhecia Leonov e tinha grande respeito por sua coragem, disse o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov nesta sexta-feira, segundo a TASS.

A Nasa disse em comunicado no Twitter que ficou triste com a morte de Leonov. "Sua aventura no espaço deu início à história de atividades fora de veículos espaciais e faz hoje a manutenção da Estação Espacial possível", afirmou.

 

Morte de Gagarin

O cosmonauta era amigo íntimo do primeiro homem a ir ao espaço, o cosmonauta russo Yuri Gagarin, que morreu em um acidente de avião, em 27 de março de 1968, perto de Moscou.

Após a queda da União Soviética em 1991, Leonov ganhou as manchetes na Rússia questionando a versão oficial do governo, segundo a qual Gagarin morreu no comando de um avião tentando evitar um balão meteorológico.

Segundo Leonov, membro da comissão de inquérito de 1968, um avião de caça Sukhoi cruzou a trajetória de Gagarin, a menos de 20 metros de sua aeronave, provocando o acidente.

Ao atravessar a barreira do som, o caça provocou o giro e a queda do avião de Gagarin, segundo Leonov. Com informações, G1.

RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Brasil tem 1,66 milhão de casos confirmados do novo coronavírus
Saúde
Presidente Jair Bolsonaro testa positivo para covid-19
Políciais Federais
Justiça nomeia peritos para conferir serviços de hospitais de campanha
Polícia
Operação da PF investiga sobrepreço no Hospital de Campanha, inclusive a locação de tendas
Campo Grande
Lixo, mato e esconderijo de viciados na capital
Saúde
Brasil registra mais 620 mortes por Covid-19 e chega a 65.487 óbitos
Rio de Janeiro
Comissão do impeachment de Witzel aprova retomada do prazo de defesa
Saúde
Os municípios do Mato Grosso do Sul receberam 197 milhões para gastar com o novo Coronavirus
Coxim
Mataram Zé Carlos gari que se destacava em denunciar injustiças contra o povo de Coxim, através das redes sociais.
Mundo
Austrália fecha fronteira estadual pela 1ª vez em 100 anos