Menu
Busca Dom, 26 de maio de 2019
(67) 9.9928-2002
ATENTADO

"Não havia nem tempo para mirar, havia tantos alvos", diz atirador

15 março 2019 - 17h00

No vídeo em que transmitiu o ataque terrorista que fez contra uma mesquita na Nova Zelândia, o australiano Brenton Tarrant, apontado pelas autoridades como o autor do vídeo, fez comentários sobre a ação. "Não havia nem tempo para mirar, havia tantos alvos. Havia tantas pessoas, o estacionamento estava cheio", disse.

Ataques a duas mesquitas deixaram ao menos 49 mortos em Christchurch. A ação registrada por Tarrant foi contra a mesquita Al Noor, onde há o registro de pelo menos 41 vítimas. Sete morreram em uma mesquita de Linwood e outro morreu em um hospital, quando estava sendo atendido.

Antes de cometer o atentado, Tarrant, em um "manifesto" intitulado "A Grande Substituição", definiu-se como "fascista" e elogiou o presidente dos EUA, Donald Trump, e a China.

No documento de 74 páginas publicado na internet, Tarrant contou que seu objetivo era "criar uma atmosfera de medo" e "incitar a violência" contra imigrantes, valendo-se da cobertura da imprensa sobre o atentado para propagar suas ideias.
Ele também evocou um documento escrito por Anders Behring Breivik, terrorista norueguês de extrema direita que matou 77 pessoas em 2011.

Tarrant disse que teve um "breve contato" com Breivik e confessou que foi sua "única inspiração verdadeira".

Eu escolho as armas pelo efeito que elas terão no discurso social, a cobertura midiática adicional que elas terão e o efeito que podem ter na política dos EUA e na situação política do mundo

Brenton Tarrant, apontado como um dos autores do atentado

A polícia australiana considera Tarrant um "terrorista de extrema direita". "Sou apenas um homem branco comum, de uma família normal, que decidiu adotar uma postura para assegurar o futuro do seu povo", escreveu o terrorista.

Além dele, outras duas pessoas foram presas suspeitas de relação com os ataques. Uma quarta pessoa chegou a ser detida, mas a polícia alegou que ela não tinha relação com os eventos e a liberou.


Vingança
Reprodução


Tarrant também disse que queria vingar a menina sueca, morta em 2017 em um ataque jihadista. Ebba Akerlund, uma sueca de 11 anos, morreu atropelada por um caminhão em uma rua comercial de Estocolmo por Rakhmat Akilov, um imigrante do Uzbequistão.


Seu túmulo, em um cemitério na capital sueca, é regularmente profanado por um homem de nacionalidade estrangeira que aguarda julgamento. Com informações, Uol Notícias.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Qual pode ser o impacto das manifestações para o futuro do governo Bolsonaro?
ESPORTES
Ex-jogador do Fluminense é preso em operação da PCDF no Mané Garrincha
JUSTIÇA
Dias Toffoli diz que fake news já fazem parte do processo eleitoral no país
INTERNACIONAL
Alpinista britânico morre ao escalar o Monte Everest
ECONOMIA
Gasolina tem queda de 4,4% nas refinarias a partir deste sábado
POLÍTICA
Caso Flávio Bolsonaro: Queiroz pagou R$ 64 mil em dinheiro vivo por cirurgia a hospital em SP
JUSTIÇA
TSE cancela título de 2,5 milhões de eleitores com irregularidades
MEIO AMBIENTE
Reparação no Rio da Prata deve ser dividida entre produtores, Município e Estado
TEMPO
Em novo alerta pela queda na temperatura, MS pode ter frio de 4ºC, segundo Inmet
Fazendeiros são condenados por acidente com gado solto na pista em MS