Menu
Busca Sáb, 31 de outubro de 2020
(67) 9.9928-2002
OPORTUNIDADE

Novo convênio permitirá que brasileiros usem nota do Enem em Portugal

19 maio 2018 - 13h26Por Valquíria Rodrigues
Mais um convênio permitirá que estudantes brasileiros usem resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para concorrer a vagas em instituições de ensino em Portugal. Nesta sexta-feira (18), o Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) recebeu representantes da Escola Superior de Saúde do Alcoitão para assinatura presencial do convênio interinstitucional. Com o acordo, o Inep passa a ter 32 parcerias com instituições portuguesas. 

O acordo favorece a comunicação para conferência dos resultados dos participantes que pretendem usar as notas do Enem para obtenção de uma vaga. As instituições de ensino superior têm liberdade para definir qual será a nota de corte para o acesso dos estudantes brasileiros aos cursos ofertados.

Brasileiros em Portugal

Segundo levantamento do Inep, pelo menos 1,2 mil brasileiros já ingressaram em instituições portuguesas por meio dos convênios. O mapeamento considerou 23 das 29 unidades europeias que mantinham o acordo em abril. Seis instituições ainda não consolidaram os dados de seleção com nota do Enem.

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil e Mundo
Turquia busca sobreviventes após terremoto deixar 25 mortos no país
Brasil
Caixa libera hoje saque do FGTS para nascidos em setembro e outubro
Brasil
Feriado do dia 2 aumenta em 40% movimentação nos aeroportos
Geral
INSS inicia pagamento de diferenças do auxílio Segundo o órgão, 497 mil segurados estão aptos a receber os valores
Saúde
Brasil registra 508 novas mortes por Covid-19 e total de óbitos vai a 159.477
Brasil
Contas públicas têm déficit de R$ 64,5 bilhões em setembro, diz BC
Judiciário
Justiça do RJ condena desembargadora a pagar indenização por calúnia contra Marielle
Brasil e Mundo
Congresso da Bolívia aprova recomendação de processo contra presidente Jeanine Ánez
Brasil
Mourão aposta que governo comprará vacina chinesa: “Lógico que vai”
Internacional
Milhares de muçulmanos protestam contra comentários de Macron