Menu
Busca Qua, 22 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Saúde

Opas: interromper isolamento pode levar a segunda onda de contaminação

Entidade alerta que flexibilização da quarentena deve ser com cautela

14 abril 2020 - 16h00Por Agência Brasil-EBC
 
Forças Armadas promovem ação de desinfecção no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), uma das medidas adotadas para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus

 

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde nas américas, alerta para que a flexibilização das medidas de distanciamento social para combater o novo coronavírus seja adotada com muita cautela. A diretora do organismo internacional, Carissa Etienne, afirmou hoje (14) em conferência para a imprensa que interromper o distanciamento social precocemente pode ter efeito oposto, propiciando uma segunda onda de casos de covid-19 e aprofundando ainda mais a crise econômica e social nas Américas.

Carissa Etienne enfatizou que o distanciamento social é a melhor opção para reduzir a transmissão e deter a propagação do vírus. "Impede que os hospitais fiquem sobrecarregados com muitas pessoas internadas ao mesmo tempo e ajuda médicos e enfermeiros a não terem que tomar as terríveis decisões sobre a quais pacientes dar atenção e a quais não".

A diretora da Opas reconhece que a situação é difícil para a economia e para o estilo de vida atual, mas ressalta que a pandemia ensinou que essas medidas funcionam. "O distanciamento deve manter-se por um certo período de tempo para que seja realmente eficaz. Depois de um período de distanciamento social, qualquer tentativa de fazer a transição para medidas mais flexíveis deve ser feita com extrema cautela. Essas decisões sempre devem ser tomadas com base nos padrões de transmissão da doença, na disponibilidade de testes, na capacidade de rastreio dos contatos, na disponibilidade de leitos hospitalares e outros critérios objetivos", afirmou Carissa, acrescentando que o distanciamento é uma forma de ganhar tempo para que os tratamentos, remédios e vacinas possam chegar.

Carissa reforçou que o distanciamento social deve ser acompanhado por medidas de apoio social para os mais vulneráveis. "Isso requer uma capacidade de logística local e nacional adequada para assegurar que se entreguem remédios, testes, alimentos, e outros insumos para as nossas populações. Executar as medidas de combate à covid-19 pode ser perturbador, mas não fazê-lo pode pôr em risco o fim da crise. Interromper o distanciamento social muito cedo pode ter um efeito oposto, levando a uma segunda onda de casos de covid-19, que estenderia o sofrimento e as incertezas socioeconômicas a longo prazo na região das Américas".

Em relação aos prejuízos econômicos decorrentes do novo coronavírus, a diretora da OPAS afirma que a atividade econômica voltará somente quando as pessoas se sintam seguras, quando sintam que os seus governos estão fazendo tudo o que podem. "Rogo aos líderes da nossa região que ganhem a confiança do povo sendo rigorosos, baseados em evidências e com total transparência nessa luta contra a pandemia".

Jarbas Barbosa, vice-diretor da OPAS, ressaltou que a pandemia pode ser um desafio até para sistemas de saúde de países desenvolvidos. "Aprendemos com a Itália, com Nova Iorque, algumas cidades da Espanha e da França, que a transmissão comunitária se dissemina com muita velocidade, por isso é necessário tomar as medidas de distanciamento social e físico de uma maneira adaptada à realidade de cada país, mas de maneira rápida para reduzir a velocidade de transmissão e evitar que os serviços de saúde tenham sua capacidade sobrecarregada".

Ampla testagem

Chegada dos 5000 testes para coronavírus em Guarulhos - SP - Divulgação/MS

Para o diretor de Emergências em Saúde da Opas, Ciro Ugarte, o controle da pandemia requer, em primeiro lugar, ampla detecção de quem tem covid-19. "Para poder fazer isso é necessário implementar vigilância epidemiológica, estabelecer uma estratégia de diagnósticos e testes, e também fazer os testes adequadamente. Aqueles pacientes que são detectados têm que estar isolados, um isolamento específico, que significa que ninguém pode entrar e sair dos lugares onde estão as pessoas infectados se não levarem os equipamentos de proteção individual adequados. Se há pessoas que estiveram em contato com os infectados, e que não estiveram protegidas durante o contato, se requer fazer a quarentena de todos os contatos. É extremamente importante entender que se as medidas são feitas adequadamente, o distanciamento é um elemento complementar mas extremamente útil para que os países possam reduzir a curva da pandemia e reduzir a transmissão".


Setor privado

Carissa Etienne disse ainda que a pandemia realmente surpreende pela magnitude e pela incapacidade da região em dispor de recursos fundamentais, como os equipamentos de proteção individual e os testes massivos. Ela ressaltou a importância do envolvimento do setor privado neste momento de crise. "O setor privado tem que ser parte integral da resposta à covid-19. Peço primeiro que ajudem nossos países da América Latina e Caribe a resolver o desafio mais imediato que é o acesso a atenção e a testes de qualidade para a covid-19. Acho, sinceramente, que a cobertura de saúde de uma pessoa não deve depender de se ela tem um emprego ou não, o acesso aos serviços de saúde da família e da comunidade não deve depender da situação econômica da família e da comunidade, Necessitamos a força do setor privado para enfrentar a covid-19".

Edição: Aline Leal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasília
CPI termina com sessão em briga, agressão verbal entre senadores e Ministro da CGU.
CPI no Senado Federal
A diferença de pensamento entre os Ministros do STF, Carmen, Nunes Marques e Rosa Weber.
Ministros divergem sobre obrigação de convocados à CPI da Covid
Justiça
Cármen Lúcia determina que CPI da Covid mantenha sigilo sobre dados de Ricardo Barros
Apenas o presidente da comissão, senador Omar Aziz, pode ter acesso aos dados do líder do governo na Câmara. Outros senadores membros da comissão terão acesso via requerimento
Policia Federal
Inquérito apura fraude na venda de medicamentos para o Ministério da Saúde entre 2016 e 2018; agentes também cumprem mandados na Precisa e na Global
PF investiga gestão Ricardo Barros e faz buscas em endereços de Max e secretário ligado a Ciro Nogueira
Paraná
PF desarticula quadrilha especializada em defensivos agrícolas ilegais
ONU
Presidente faz discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas
Abertura do evento é feita tradicionalmente pelo presidente do Brasil
Brasília
Senador quer convocar filho de Bolsonaro após provocação à CPI
Mato Grosso do Sul
Inverno se despede com temperaturas acima dos 40°C e umidade do ar em níveis críticos
Política
Transferência de pagamento de perícias médicas aos segurados do INSS é criticada em debare do Senado Federal.
Política
Deputados cassados por corrupção recebem aposentadoria de até R$ 23,3 mil pela Câmara