Menu
Busca Qua, 22 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Brasíl e Mundo

PF prende militar da Argentina por crimes contra a humanidade.

12 maio 2020 - 10h41

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Polícia Federal prendeu para fins e extradição na segunda-feira em Paraty, no Rio de Janeiro, um ex-oficial da Marinha da Argentina, de 69 anos, acusado de crimes contra a humanidade e sequestro, informou a PF em nota divulgada nesta terça-feira.

“O ex-militar argentino é suspeito de fazer parte da equipe de operações do Grupo de Tarefas da ESMA (Escola Mecânica Armada da Marinha Argentina). Na Argentina, o grupo foi responsabilizado por assassinatos de estudantes, sindicalistas e políticos de oposição, cujos corpos teriam sido jogados ao mar nos chamados ‘voos da morte’”, afirmou a Polícia Federal sem revelar o nome do ex-militar.

 

A Polícia Federal não divulgou o nome do ex-militar, mas duas fontes com conhecimento do assunto disseram à Reuters se tratar de Gonzalo Sánchez, conhecido como “El Chispa”.

A ESMA foi um dos principais centros de detenção, tortura e extermínio de dissidentes políticos durante a ditadura militar argentina entre 1976 e 1983.

Segundo a nota da PF, o ex-militar era procurado pela Interpol e já havia sido preso para fins de extradição em 2013, em Angra dos Reis, também no Rio de Janeiro, mas uma decisão judicial o colocou em prisão domiciliar. Em 2019, por sua vez, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou sua extradição e, desde então, ele estava foragido.

Sánchez foi preso em Angra dos Reis em 2013 e posteriormente teve a extradição autorizada pelo Supremo.

Por Rodrigo Viga Gaier; Reportagem adicional de Eduardo Simões, em São Paulo; Edição Paula Arend Laier

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasília
CPI termina com sessão em briga, agressão verbal entre senadores e Ministro da CGU.
CPI no Senado Federal
A diferença de pensamento entre os Ministros do STF, Carmen, Nunes Marques e Rosa Weber.
Ministros divergem sobre obrigação de convocados à CPI da Covid
Justiça
Cármen Lúcia determina que CPI da Covid mantenha sigilo sobre dados de Ricardo Barros
Apenas o presidente da comissão, senador Omar Aziz, pode ter acesso aos dados do líder do governo na Câmara. Outros senadores membros da comissão terão acesso via requerimento
Policia Federal
Inquérito apura fraude na venda de medicamentos para o Ministério da Saúde entre 2016 e 2018; agentes também cumprem mandados na Precisa e na Global
PF investiga gestão Ricardo Barros e faz buscas em endereços de Max e secretário ligado a Ciro Nogueira
Paraná
PF desarticula quadrilha especializada em defensivos agrícolas ilegais
ONU
Presidente faz discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas
Abertura do evento é feita tradicionalmente pelo presidente do Brasil
Brasília
Senador quer convocar filho de Bolsonaro após provocação à CPI
Mato Grosso do Sul
Inverno se despede com temperaturas acima dos 40°C e umidade do ar em níveis críticos
Política
Transferência de pagamento de perícias médicas aos segurados do INSS é criticada em debare do Senado Federal.
Política
Deputados cassados por corrupção recebem aposentadoria de até R$ 23,3 mil pela Câmara