Menu
Busca Qua, 05 de agosto de 2020
(67) 9.9928-2002
Brasíl e Mundo

Premiê da Nova Zelândia mantém popularidade a caminho de eleição em setembro, mostra pesquisa Por Melanie Burton

30 julho 2020 - 10h11Por Reuters

(Reuters) - O apoio à primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, aumentou em julho, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira, mantendo seu Partido Trabalhista no caminho certo para vencer as eleições gerais em setembro.

A pesquisa 1 NEWS Colmar Brunton mostrou a popularidade dos trabalhistas em 53%, um aumento de 3 pontos percentuais em relação ao final de junho. Se repetido nas eleições, isso permitiria que o partido governasse sozinho e não por coalizão.

 

O Partido Nacional, da oposição, perdeu 6 pontos percentuais, caindo para 32%, após uma série de escândalos e uma mudança na liderança.

O apoio à nova chefe da oposição, Judith Collins, subiu para 20% em relação à preferência por premiê, muito superior aos líderes anteriores do partido, mas ainda bem atrás de Ardern, cuja popularidade estava constante em 54%.

Uma pesquisa da Newshub-Reid divulgada no domingo mostrou que a popularidade dos trabalhistas subiu para 60,9%, a mais alta da história da pesquisa.

RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasíl e Mundo
Mortes por coronavírus passam de 700 mil no mundo, uma pessoa morre a cada 15 segundos em média
Campo Grande
Defensoria Pública ingressou c ação judicial para ter lokdowm na capital.
A tragédia no atendimento hospitalar e o desrespeito às medidas de prevenção do Covid 19
Brasíl e Mundo
Irã pode aumentar consumo de carne de Brasil
Brasíl e Mundo
Gafanhotos: governo da Argentina localiza 5ª nuvem no país
Esporte
Ceará e Bahia decidem o título da Copa do Nordeste 2020
Vacina
Russia estará pronta com vacinação contra Covid 19, em breve.
Campo Grande
Campo Grande é o epicentro da Covid
Política
Onyx confessa caixa 2 e faz acordo com PGR para extinguir investigação Por Ricardo Brito
Economia
CMN publica resoluções de auxílio a produtores rurais
Brasíl e Mundo
Investigação da promotoria de Manhattan sobre Trump aborda mais do que pagamentos a mulheres Por Karen Freifeld