Menu
Busca Sex, 30 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002
BRASIL E MUNDO

Trump vai declarar emergência nacional para levantar muro na fronteira

15 fevereiro 2019 - 09h20

Em um movimento temerário, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deverá assinar decreto de emergência nacional para tentar driblar o Congresso e construir o muro de 1.600 quilômetros na fronteira com o México. Adicionalmente, ele decidiu assinar o acordo fechado por democratas e republicanos nesta semana como meio de evitar um novo período de paralisia do governo federal por falta de orçamento.

“O presidente Trump assinará a lei de financiamento do governo (federal), como ele já declarou antes, e ele vai também tomar outra ação executiva, incluindo a emergência nacional, para garantir o fim das crises de segurança nacional e humanitária na fronteira”, declarou a secretário de imprensa da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders.

“O presidente assinará o acordo. Nós vamos votá-lo logo”, anunciou Mitch McConnell, líder da maioria republicana no Senado, no plenário, segundo o jornal The Washington Post.

Pelo Twitter, Trump limitou-se a escrever que está revendo os cálculos de financiamento do muro com sua equipe na Casa Branca.


A decisão de Trump de assinar o acordo tranquiliza a população do país, que vivera 35 dias de paralisia do governo federal e corria o risco de ver  dose se repetir. Mais de 800.000 funcionários públicos federais ficaram sem os seus salários, pagos semanalmente, naquele período. Parques, instituições e agências federais funcionaram parcialmente ou foram fechados. os americanos dependentes de subsídios para a alimentação e ajuda para o aluguel ficaram sem receber os benefícios.

A paralisia foi provocada pela disputa entre Trump e a bancada democrata, majoritária na Câmara dos Deputados, em torno da construção dos 1.600 quilômetros de muro na fronteira com o México. Diante da rejeição da oposição em aprovar o financiamento de 5,7 bilhões de dólares para o muro, Trump recusou-se a assinar a lei orçamentária para este ano.

O impasse foi suspenso por uma trégua que acaba às 24h desta quinta-feira. Na última terça-feira, as duas bancadas do Congresso propuseram ceder parcialmente e incluir no orçamento a construção dos 88 quilômetros de muro ao custo de 1,37 bilhão de dólares. Trump disse que “não gostara” da solução, mas a avaliaria.

A construção do muro na fronteira com o México foi uma das principais promessas da campanha de Trump em 2016. Uma vez levantado, será seu principal trunfo para as eleições de 2020, nas quais já é candidato.

A briga entre os democratas e Trump, porém, está longe de terminar. Segundo o jornal The Washington Post, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, o acusou de driblar o Congresso e avisou os republicanos que um futuro presidente do partido democrata pode fazer o mesmo.  “O muro não é uma necessidade para o país”, insistiu ela.

O líder da minoria democrata no Senado, Charles Schumer acusou Trump de tentar desviar a atenção do público sobre o não cumprimento de sua promessa de fazer o México pagar pelo muro.

Com o risco de nova paralisia do governo federal afastado, os democratas poderão impedir a aprovação do decreto de emergência nacional pelo plenário da Câmara. Com isso, McConnell será obrigada a levar o decreto a votação no Senado, onde não tem segurança de aprovação, mesmo com a maioria republicana. O senador já havia avisado Trump sobre esse cenário, segundo o Washington Post.

 

Fonte: Veja

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana