Menu
Busca Qui, 23 de setembro de 2021
(67) 9.9928-2002
Campo Grande

Ameaça de demissão em massa do Transporte Público da capital

"O Consórcio está passando dificuldade para manter o Transporte coletivo urbano, mas o allcaide quer que desistam do contrato" manifesrou-se um dos motoristas que pediu para não divulgarem a fonte.

07 agosto 2020 - 07h00Por Boca do Povo

Após impasse e desistência da assembleia que poderia paralisar o transporte coletivo em Campo Grande nesta sexta-feira (07), os ônibus continuam circulando normalmente. No entanto, a assembleia que discutirá a demissão em massa feita pelo Consórcio Guaicurus, que alega ‘crise do coronavírus’, deverá ser remarcada ainda hoje.

Jornal Midiamax foi até duas empresas na manhã desta sexta. Os ônibus saíram em seu horário normal, por volta das 5h20. Em uma das empresas, a Jaguar, foi confirmada a demissão de alguns funcionários. O número não foi informado.

Se para os funcionários do transporte coletivo a situação não anda favorável, os usuários também acabam perdendo. É o caso de Luiz Antonio Geordani, 44 anos, que trabalha em uma empresa de curtume no Indubrasil. Ele perdeu o primeiro ônibus de 5h15 e, diante do impasse, não sabia se o próximo passaria.
“Estou esperando o de 5h30, se não passar, ligo na empresa e volto pra casa, ou a gente se organiza pra uma carona”, disse.

Funcionária de um abrigo para menores afirmou que trabalha todos os dias e finais de semana alternados. A mulher de 32 anos depende da linha 080 para ir trabalhar. “Fiquei cuidando para ver se ia ter ônibus, quando vi que estava normal, corri para o ponto”, explicou a mulher, que mora próximo da avenida Brilhante.

No caso dos finais de semana, como o transporte é feito, exclusivamente, para quem trabalha em serviços essenciais, a empresa fez uma declaração para que a funcionária utilize o transporte aos domingos.

Demissão em massa

O STTCU (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano) de Mato Grosso do Sul denunciou que o Consórcio Guaicurus demitiu mais de 300 funcionários nos últimos meses, sendo 150 demissões somente na última quarta-feira (05).

Por isso, uma assembleia foi convocada para sexta-feira (06), onde os trabalhadores votariam sobre paralisação por tempo indeterminado. No entanto, após a audiência de mediação entre o SCTTU e o Consórcio Guaicurusintermediada pelo Ministério Público do Trabalho, a categoria desistiu de assembleia.

‘Crise’

Consórcio Guaicurus alega que está passando por ‘crise’ devido à pandemia do coronavírus, apesar de ter lucro anual de R$ 12 milhões.

Prefeitura de Campo Grande, de acordo com a Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos), o Consórcio relatou perdas de 50% nos lucros de fevereiro a junho, o que ainda restaria mais de R$ 6 milhões de ganho com a exploração do serviço na cidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fogo
Combate aos incêndios no Pantanal mobiliza 510 homens e seis aeronaves: incidência de focos é menor em três anos críticos
Eleição 2022
Senado aprovou novo Código Eleitoral e vai à sanção presidencial.
Economia
Dólar fecha acima de R$ 5,30 após anúncio do Banco Central americano
CPI da Covid
CPI: diretor da Prevent Senior é acusado de mentir e passa à condição de investigado
Brasíl
Sem coligações, CCJ do Senado aprova PEC da reforma eleitoral
Polícia Federal
A Operação Apate cumpre mandados em São José dos Campos
Brasilia
CPI da Covid-19; início da sessão com "rasgação de seda" entre senadores da oposição tentando reverter a impressão negativa da briga causada por senadora e ministro
Brasília
Briga na CPI: presidente da CPi fala que Bolsonaro causa vergonha, senador Marcos Rogério rebate dizendo que a CPI da Covid que faz vergonha a muito tempo.
Tempo e temperatura
Primavera começa com tempo claro e ensolarado em Mato Grosso do Sul
Brasília
CPI termina com sessão em briga, agressão verbal entre senadores e Ministro da CGU.