Menu
Busca Sb, 17 de agosto de 2019
(67) 9.9928-2002
O pão que o diabo amassou

Assassino do motorista de aplicativo diz que ficou 3 dias escondido em mata: 'Andando igual um doido'

Igor Cesar de Oliveira chegou à delegacia acompanhado de 2 advogados. Ele tem passagem por roubo e estava com uma arma ilegal.

17 maio 2019 - 11h30

Igor Cesar de Oliveira, de 22 anos, que confessou ter assassinado a tiros o motorista de aplicativo Rafael Baron, de 24 anos, em Campo Grande, na noite de segunda-feira (13), disse à polícia que se escondeu em uma mata logo após o crime. Ele foi preso e indiciado nesta quinta-feira (16).

“Eu estava no mato comendo o 'pão que o diabo amassou', fiquei esse tempo todo andando igual um doido ali perto de casa e não liguei para ninguém”, afirmou o assassino.

Igor contou ainda que, após sair da mata ligou para o advogado, que já tinha o defendido em outra ocasião, já que ele tem passagem por roubo. Nesta manhã, ele foi até a casa do profissional que entrou em contato com a polícia e negociou a entrega do cliente. Igor chegou às 10h30 na 5° Delegacia de Polícia na presença de dois advogados.

Já na DP, Igor disse que gosta muito da esposa e, por isso, não permitiu que ela fizesse "sacanagens" com ele. Sobre o revólver, de calibre 38, ele informou que adquiriu para "própria segurança", já que teria tido alguns problemas na cadeia.

 

Entenda o caso

Conforme a polícia, o motorista de aplicativo foi morto por um motivo banal. Na segunda-feira, ele retornava de um posto de saúde transportando Igor e esposa que está grávida, quando o crime ocorreu.

"O motorista viu que ela estava com uma tipoia no braço e perguntou o que tinha acontecido, quando ela esclareceu que foi um acidente e ele então perguntou como tinha sido o acidente. Ela respondeu que estava sozinha, que foi de moto. Isso foi suficiente, segundo nossas testemunhas, para que o autor mudasse o semblante dele e passasse a ter outro comportamento", explicou o delegado.

Rafael foi morto assim que chegou no condomínio em que o casal mora. "Enquanto a mulher fazia o pagamento da corrida, o Igor saiu rapidamente do veículo, pulou a janela do apartamento e já retornou com a arma de fogo, acreditamos que seja um revolver calibre 38 e, sem dar nenhum tipo de chance para a vítima, efetuou dois disparos à queima roupa", completou.

O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foram chamados, mas, o jovem morreu no local. Com informações, G1.

Rafael Baron morreu com dois tiros enquanto trabalhava  — Foto: Redes sociais/Reprodução
Rafael Baron morreu com dois tiros enquanto trabalhava — Foto: Redes sociais/Reprodução

Defesa do Consumidor

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil e seus Bolsonaros
Militares farão meio expediente para economizar porque o Brasil do Bolsonaro não tem dinheiro.
Black Friday está próximo
Governo lança a Semana do Brasil, a 'Black Friday da Independência'
Famosos/Política
Lula sobre o Véio do Havan: “parece o Louro José. Qualquer dia a Ana Maria coloca ele em cima da mesa”
Eleições 2020
André quer ser prefeito, é cara de pau, dinheiro, partido e conhece seus cupinchas.
Escândalo com recursos públicos
Coringa, Bilú, ET, Governador e deputados serão homenageados pela camarilha
Gestão bolsonarista
Após sete meses, Damares Alves não investiu nada na Casa da Mulher Brasileira
Política - eleição 2020
Não adianta os adversários quererem acabar com o Progressistas porque ele vai lançar bons candidatos majoritários,vereadores e vereadoras
Justiça
PGR pede acesso a inquérito sobre investigação do caso Marielle
Economia
Situação piora e Anatel avalia até uma intervenção na Oi
Assassinato
A fronteira é dominada pelos criminosos