Menu
Busca Ter, 18 de fevereiro de 2020
(67) 9.9928-2002
Rede Social

Campo Grande: Irritados com buraqueira, moradores protestam diariamente

12 abril 2018 - 10h27Por Redação Notícias VIP
Usando as redes sociais e promovendo ações irônicas, como colocar um fantoche em um buraco, plantar uma árvore e tirar self, foi a maneira encontrada por alguns moradores de Campo Grande, para protestar contra a Prefeitura Municipal, pelo grande número de furos nas ruas e avenidas da Capital.

A buraqueira nas ruas são motivos de insatisfação para o construtor Marcos Antônio que reside há 23 anos no Bairro Aero Rancho. "Na época de chuva ou de poeira a situação é a mesma, de abandono. O problema não é apenas no meu bairro, mas em todas as vias de Campo Grande", destaca.

Ele destacou que na época do ex-prefeito Bernal, a prefeitura começou a obra de recapeamento da Avenida Raquel de Queiroz. "Quando começou a briga entre o Gilmar e o Bernal, a obra parou e esta abandonada, só tem buraco nas ruas e avenidas da região do Aero Rancho", explica o construtor cobrando atuação dos vereadores no sentido de reivindicarem e fiscalizarem o prefeito.

Em outro bairro da cidade, na Vila Romana, o motorista Marcos Birches destacou para a equipe de reportagem do site Notícias Vip, que várias equipes de reportagens estiveram no local, fotos e vídeos foram divulgados e nenhuma providência foi tomada. Ele cobra do prefeito Marcos Trad, condições para que ele possa sair de casa, tirar o carro da garagem e trafegar com sua moto sem cair num buraco ou valeta. "Durante a campanha eleitoral ele prometeu que em 30 dias tamparia todos os buracos. Agora ele quer recuperar as vias em 8 anos. Pensa num sujeito mentiroso" desabafa o pai de família.

Hoje um dos maiores motivos de insatisfação entre os campo-grandenses é a buraqueira nas ruas e avenidas da Capital. 

Prefeitura

O subsecretário de Infraestrutura e Serviço Público, Ariel Serra, disse a imprensa que reconhece os problemas e informou que, com investimento (hipotético) de R$ 150 milhões por ano em recuperação de pavimento, seriam necessários pelo menos oito anos para recapear a malha asfáltica da Capital. "Atualmente, dos 2,7 mil quilômetros pavimentados, 1,5 mil precisam ser recuperados urgentemente", informa. 

Ele afirmou que se depender do orçamento previsto para 2018, o problema continuará sem solução. "A perspectiva é investir R$ 100 milhões em infraestrutura, porém, maior parte deste dinheiro é repassado à concessionária CG Solurb para execução dos serviços de coleta e destinação de lixo", expõe. 

De acordo com subsecretário sobram aproximadamente R$ 70 milhões para os demais investimentos. "Isto inclui a conclusão de obras paralisadas; as contrapartidas necessárias para obras iniciadas com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Pavimentação e Mobilidade Urbana, além do custeio dos serviços de tapa-buraco", finalizou.

Com informações do site Correio do Estado

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
População reclama da falta de iniciativa do prefeito Marcos Trad
Saúde pública
Novo coronavírus: Brasil monitora cinco casos suspeitos
Bataguassu
Homens São presos por furto de sal para bovinos
Interior
Maquinário despencou com ponte de madeira
Campo Grande
Sujeira e mato nas proximidades da Orla morena, revolta moradores
Polícia
DOF apreende veículos roubados e abandonados em região pantanosa
Greve
Caminhoneiros protestam nesta terça e cobram decisão sobre tabela do frete
Operação Coffe break
Seis anos se passaram, e parece ser verdade afirmação de Olarte de que é blindado
Mundo
Diretor de hospital em Wuhan morre infectado pelo novo coronavírus
Pedófilos
Bombeiro preso na Operação Luz da infância