Menu
Busca Ter, 27 de outubro de 2020
(67) 9.9928-2002
CAPITAL

Chamada de Ana Fraudulenta em fatura, cliente vai receber R$ 10 mil

Por Carol Assis
 Ana Fraudulenta Religando Toda Hora. A correspondência com esse termo pejorativo da operadora Vivo para uma cliente de Campo Grande resultou em indenização de R$ 10 mil. A decisão foi mantida pela 4ª Câmara Cível do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), que negou provimento ao recurso interposto pela empresa Telefônica Brasil.

A cliente tinha um contrato de linha de celular com plano mensal de R$ 54,99, que incluía internet ilimitada, o que não ocorria. A cliente entrou em contato com a operadora em busca de uma solução para o problema relacionado à internet, mas suas tentativas foram frustradas.

Como não recebia o serviço de internet, não pagou as faturas. O plano foi suspenso, contudo, ao receber as faturas, foi surpreendida por ver escrito junto ao seu nome as palavras fraudulenta ou fraudulenta religando toda hora. A cliente acionou o Procon.

Na sequência, a empresa informou o cancelamento das faturas e migração do plano. Contudo, não se retratou pelos termos pejorativos. Conforme a empresa, houve alguma confusão no momento de registrar o nome da autora, não devendo ser tratado como uma atitude planejada com o intuito de ofender o cliente.

Enviar faturas constando junto ao nome da cliente o termo pejorativo fraudulenta é conduta que fere nome, honra e imagem, direitos ligados à personalidade do indivíduo, cuja violação presume constrangimento, vexame, indignação, sendo, portanto, flagrante a configuração de danos morais, afirma o relator do processo, desembargador Dorival Renato Pavan.

O tribunal manteve a indenização de R$ 10 mil determinada pelo juiz 14ª Vara Cível de Campo Grande, José de Andrade Neto. O nome da cliente não foi divulgado pela reportagem para evitar mais constrangimento. 
news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Cresce 60% o número de cidades com mais eleitores que habitantes
Lava Jato
"Tive câncer no estômago", diz João Santana, marqueteiro de Dilma e Lula
Campo Grande
Justiça retira Harfouche da campanha para prefeito de Campo Grande
Polícia
PF prende auditor da Receita que jogou notebooks no lixo em operação contra propinas da Qualicorp e da Rimo
Willians Gonçalves Nogueira foi alvo de buscas da Operação Triuno, assim como os fiscais Roberto Augusto Ribeiro e Eli Guedes da Silva
STF
Tese proposta no STF dificulta contratação de advogados sem licitação, diz OAB
Brasil
CMN aprova regulação simplificada para projetos inovadores
Operação Omertà
Ex-guarda municipal é solto, mas com tornozeleira.
Brasília
Embaixadora da Filipina que agredia a empregada doméstica foi obrigada a deixar o Brasil
Campo Grande
Chuva trás velhos problemas da falta de limpeza pública na capital
Campo Grande
Vento forte e princípio de chuva apavora população.