Menu
Busca Qui, 18 de julho de 2019
(67) 9.9928-2002
"Privilégios"

Com 2 carros na garagem e renda de R$ 4 mil, família recebia Bolsa Família em MS

CGU também flagrou beneficiários que eram servidores da prefeitura e do Governo do Estado

12 julho 2019 - 15h30

A CGU (Controladoria-Geral da União) divulgou na última semana relatório sobre pagamentos do benefício Bolsa Família entre 2017 e 2018 em Corumbá, a 425 km de Campo Grande. O benefício é destinado a famílias da extrema pobreza, mas a investigação apontou que famílias com renda de até R$ 4,2 mil e com dois carros na garagem eram contempladas pelo programa. A controladoria ainda investigou funcionários da prefeitura e do Governo de MS que também recebiam o benefício.

De acordo com o relatório, foram identificadas quatro famílias com renda per capita superior à estabelecida pelo programa. A CGU também flagrou 16 famílias de beneficiários compostas por servidores da Prefeitura de Corumbá e Ladário e do Governo de Mato Grosso do Sul.

Entre os casos que chamam a atenção, está o de uma família com renda de R$ 4.283,74. No programa, a beneficiária havia declarado que a renda per capita da casa era de R$ 35, mas a investigação apontou que a renda por pessoa é de R$ 1.070,93. Além disso, o casal mora em uma casa incompatível com o perfil do público-alvo do Bolsa Família e ainda tinha dois carros, um avaliado em R$ 17 mil e outro no valor de R$ 61 mil.

Em um outro caro, o marido da beneficiária tinha duas motos e um carro avaliado em R$ 29 mil. Ele ainda era servidor da Prefeitura de Corumbá e tinha salário de R$ 3,1 mil. À CGU, a prefeitura defendeu que o Cadastro Único é auto declaratório, logo o beneficiário se responsabiliza pelas informações declaradas.

O Bolsa Família atende famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda por pessoa de até R$ 89 e na pobreza, com renda por pessoa entre R$ 89 e R$ 178. Segundo a CGU, considerando que o público-alvo do programa é de famílias em situação de vulnerabilidade e com renda de no máximo R$ 178 por pessoa, ter um carro pode ser indicativo de fraude. “Considera-se que a propriedade de veículos acima de R$ 20 mil é um forte indicativo de que as famílias podem ter fornecido informações inverídicas de renda para ingressarem ou se manterem no Programa', diz.

Com informações, MS NEWS.

Liberdade de expressão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Ladrões se dão mal ao cair da moto
Mega-Sena
Resultado do sorteio do concurso n. 2170
JUSTIÇA
Registro de crimes cai no primeiro trimestre do ano
JUSTIÇA
Em MS, homem é preso em casa com arma, munições e R$ 21 mil
MILICIA
PF investiga suposta 'milícia' que com ameaças, extorsões e violência estaria tentando controlar aldeia urbana em Campo Grande
JUSTIÇA
Professor pesquisado por acusado de matar Marielle renuncia à direção após ameaças
Exemplo
PREFEITO MEXICANO SE DISFARÇA DE DEFICIENTE PARA TESTAR FUNCIONÁRIOS E FOI ISSO QUE ELE DESCOBRIU
Pai ridiculariza filha publicamente por ela não apoiar o atual governo
INVESTIGAÇÃO
Arma achada na casa de Flordelis foi usada para matar pastor
INTERIOR
Esposa de defensor público é encontrada morta em residência em MS