Menu
Busca Sb, 22 de fevereiro de 2020
(67) 9.9928-2002
Caso de racismo na capital

'Ela falava olhando no meu olho', diz vítima de injúria racial e que foi expulso da casa de idosa presa em MS

Trabalhador diz que já viveu situações semelhantes e não denunciou o crime. A idosa, segundo a polícia, teve a fiança arbitrada em um salário mínimo e responde em liberdade.

11 setembro 2019 - 13h00Por G1 MS

O agente de saneamento, de 40 anos, que foi expulso e xingado ao vistoriar um hidrômetro na casa de uma idosa, por ser negro, deu entrevista exclusiva ao G1 seis dias após o crime, nesta quarta-feira (11). O caso ocorreu em Campo Grande. Ele, que não terá a identidade revelada, ressaltou que já viveu episódios semelhantes e não fez denúncias. No entanto, ficou indignado ao perceber que a mulher tentava o humilhar "olhando no olho" dele.

"A polícia somente foi ao local porque ela chamou, não queria que eu encostasse a mão no hidrômetro. Por mais que foi grave, eu não iria levar a situação adiante, prefiro até me preservar e inclusive já passei por esta situação de preconceito outras vezes, assim como colegas. Mas, foi uma infelicidade da parte dela e fiquei indignado porque ela falava olhando no meu olho", lamentou a vítima.

Na ocasião o trabalhador conta que pediu ao colega para continuar trabalhando e ele sairia do imóvel. "Acho que a justiça maior é a de Deus. Sou casado, tenho 3 filhos e busquei neles e no restante da minha família o conforto. Eu continuo trabalhando normalmente", afirmou.

Segundo o delegado Camilo Ketenhuber, da 2ª Delegacia de Polícia, ela passou a noite na cadeia e foi liberada no dia 6 de setembro após pagar a fiança de um salário mínimo. "Houve a audiência de custódia e ela também não demonstrou arrependimento em nenhum momento. Ela falou que o chamou de negro porque ele não se identificou para ela. No entanto, ele estava com o crachá e eu disse a ela porque não questionou o nome dele. Eu também vi o vídeo e constatamos que ela o chamou de negro com a intenção de humilhá-lo", explicou.

 

Entenda o caso

A mulher de 61 anos foi presa em flagrante no dia 5 de setembro e foi indiciada por crime de injúria racial. Na ocasião, ela teria xingado o funcionário enquanto ele vistoriava o hidrômetro: 'Não põe a mão, você é um negro, tição'

Segundo o boletim de ocorrência, o funcionário e o colega receberam uma ordem de serviço, no qual deveriam se deslocar até um imóvel e verificar a rede de esgoto e o hidrômetro, com suspeita de fraude por conta da leitura do histórico de consumo. A dupla então chegou no local com o crachá e o veículo da empresa.

Em seguida, um homem os recebeu e disse que chamaria a proprietária do imóvel. Ela então se aproximou e, conforme o boletim, estava visivelmente alterada. A idosa disse que tinha recebido uma notificação por não ter feito a ligação de esgoto e estar usando a fossa. Neste momento, os funcionários a disseram que precisariam vistoriar o equipamento, quando ela teria respondido: "Por qual motivo vocês querem olhar o hidrômetro, eu vou chamar a polícia".

A vítima, de 40 anos, então teria dito a ela que poderia chamar a polícia. Ainda conforme o registro policial, a idosa então apontou o dedo para ele e falou: "Seu negro, você não vai por a mão no meu hidrômetro, você é um negro!". O funcionário ressaltou que a mulher repetiu a mesma palavra, diversas vezes, e por isso ele gravou pelo celular.

As imagens foram encaminhadas para a polícia. A vítima também ressaltou que no teor do vídeo consta o momento em que a idosa o expulsou do imóvel, além de chamá-lo de tição e dizendo que apenas o colega dele deveria ficar lá. Ainda conforme o depoimento do funcionário, o marido e filhos dela presenciaram a cena e a pediram para parar de xingar. No entanto, mesmo assim, ela continuou com a "clara intenção de humilhar e menosprezar", sendo ainda empurrado por ela.

 
Empresa emitiu nota de repúdio após caso de injúria racial em MS — Foto: Redes sociais/Reprodução

Empresa emitiu nota de repúdio após caso de injúria racial em MS — Foto: Redes sociais/Reprodução

Com informações, G1.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Reuters se junta ao Facebook no combate à desinformação na rede social
Geral
Quase mil passageiros desembarcam do navio afetado pelo coronavírus
Carnaval
Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
Geral
Julgamento de Assange começa na segunda-feira
Politica ou Politicagem ?
Solidariedade expulsa vereador que liderou motim da PM no Ceará
Ceará
Carnaval é cancelado no Ceará
Política
Guru do presidente está internado nos Estados Unidos
Fronteira
Operação Alba: 10 pessoas foram presas nesta madrugada em PJC
Polícia
ABRAJI informa que pistolagem usou a mesma arma para jornalista e outras pessoas
Ceará
Reforço de segurança nacional e exército chega ao Ceará