Menu
Busca Dom, 24 de outubro de 2021
(67) 9.9928-2002
benefício

Em um ano, 12,3 mil famílias deixaram de receber Bolsa Família em MS

11 abril 2018 - 16h18Por Redação Notícias VIP
Menos famílias com acesso a programa social e maior desigualdade de renda. Essas são algumas mudanças em Mato Grosso do Sul no intervalo de um ano, de acordo com a PNADC (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), divulgada nesta quarta-feira (dia 11) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Os dados da PNAD mostram que, em 2017, 76.639 domicílios receberam recurso referente ao PBF (Programa Bolsa Família) em Mato Grosso do Sul. Esse número é 13,84% inferior ao do ano anterior, quando 88.959 domicílios tinham acesso ao benefício. Em termos absolutos, famílias deixaram de receber dinheiro do Bolsa Família.

O número de domicílios que contaram com recurso do PBF em 2016 correspondia a 10% do total de famílias no Estado, de 890.166. No ano seguinte, essa equivalência recuou para 8,5% (901.530 domicílios no total).

A queda na quantidade de pessoas beneficiadas pelo programa social poderia ser um indicador positivo caso resultasse de ascensão socioeconômica. No entanto, outros dados da pesquisa mostram crescimento da desigualdade de rendimento.

O rendimento médio mensal de famílias com beneficiários do PBF diminuiu 8,8%, de R$ 443 em 2016 para R$ 404 em 2017. Os que não recebiam o dinheiro da Bolsa tiveram redução de renda de 4,8%, de R$ 1.494 para R$ 1.421. Em 2016, o valor recebido pelos beneficiários do programa equivalia a 29,65% da renda do segundo grupo. Em 2017, essa paridade caiu para 28,43%.







Serviços ? As diferenças de rendimentos são acompanhadas de outras disparidades entre os dois grupos familiares, como, por exemplo, o acesso a serviços básicos.

No ano passado, dos domicílios que recebiam o Bolsa Família, 13,8% não tinham acesso à rede de água. No outro grupo, essa parcela era de 12%. Em se tratando de lixo, os que não contavam o serviço eram, respectivamente, de 11,2% e de 8,4%.

A falta de cobertura é mais acentuada no que se refere a esgotamento sanitário. Em 2017, dos domicílios sul-mato-grossenses com Bolsa Família, 72,6% estavam fora da cobertura da rede de esgoto. Entre os que não recebiam recurso do programa, 57,3% não contavam com o serviço.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Foto de Eduardo Bolsonaro como 'sheik' em Dubai causa onda de críticas; deputado defende gastos
Saúde
Em evento histórico, primeira vacina contra malária é aprovada pela OMS
Educação
Relatório aponta impacto da pandemia na saúde mental de adolescentes
Direito
Hipertensão: Quem possui essa condição pode requerer o auxílio-doença ou a aposentadoria por invalidez?
Geral
Facebook, Instagram e Whatsapp têm problemas de acesso nesta segunda
Economia
Ministro defende uso de reservas para capitalizar banco do Brics
Saúde
Ministro chega ao Brasil um dia após testar negativo para covid-19
Brasíl
Eleitores voltam às urnas em 19 cidades para escolha de novo prefeito
Campo Grande
Com ventos de 68 Km/h e 145 mil raios, temporal deixou 13 mil pessoas no escuro
Política
Lei que define sobras de voto em eleições proporcionais é sancionada