Menu
Busca Sex, 30 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002
CAPITAL

Marquinhos Trad assinara contrato com empresa do Bill Gates Pantaneiro.

Blog Jacaré denúncia: "PSG não provou prestação de serviço e ficou sem receber R$ 3,3 milhões da prefeitura"

17 janeiro 2019 - 12h05

Investigada por corrupção, fraude em licitações e lavagem de dinheiro pela Polícia Federal, a PSG Tecnologia Aplicada não comprovou a prestação do serviço e levou calote de R$ 3,318 milhões do contrato firmado com a Prefeitura Municipal de Campo Grande em dezembro de 2012. Agora, seis anos depois, a empresa de Antônio Celso Cortez, preso na Operação Computadores de Lama, é a virtual vencedora da mesma licitação.

A empresa ficou em terceiro lugar com o menor lance, mas foi declarada vencedora após a eliminação das duas concorrentes pela comissão de licitação. A American Locação Hidráulica e Importadora Eireli, que propôs o valor de R$ 6,2 milhões, foi eliminada porque teria apresentado os documentos fora do prazo.

A Dataway Tecnologia da Informação, que ficou em segundo com o lance de R$ 6,3 milhões, foi eliminada por não ter atingido a nota mínima exigida na Prova Conceito.

A PSG superou a nota mínima e foi declarada vencedora, apesar de ter proposto prestar serviços na área de tecnologia da informação para o município por R$ 6,369 milhões.

O contrato é o mesmo firmado em 21 de dezembro de 2012, no fim da gestão de Nelsinho Trad (PTB), com a empresa de Antônio Cortez (R$ 6,050 milhões). Só que a oposição ganhou as eleições e a empresa só acabou recebendo R$ 264 mil pelas 10 notas emitidas.

A PSG recorreu à Justiça para receber R$ 3,318 milhões. Segundo o advogado Fábio Melo Ferraz, o município não efetuou o pagamento por motivos desconhecidos.

A procuradora municipal Viviane Moro rebateu o argumento da defesa e destacou que não houve pagamento porque as notas fiscais não foram atestadas. Conforme a prefeitura, a PSG não comprovou a efetiva prestação do serviço.
 
A ação segue para sentença do juiz Marcelo Andrade Campos Silva, da 1ª Vara de Fazenda e Registros Públicos de Campo Grande.

O calote milionário foi um dos motivos que levaram à cassação de Alcides Bernal (PP), que decidiu passar o pente fino nos contratos e só pagar pelo serviço prestado, conforme apregoava na época.

João Roberto Baird, o Bil Gates Pantaneiro, é acusado pela PF de ser o real dono da PSG Tecnologia Aplicada. A companhia incorporou a Itel Informática, que tornou o empresário famoso e milionário pelos contratos firmados com órgãos públicos sul-mato-grossenses.

Bernal não fez pagamentos milionários para empresas de informática, o que teria levado o Bil Gates Pantaneiro a articular sua cassação, segundo o Gaeco (Foto: Arquivo)

Ele é réu na Operação Coffee Break, que aponta um conluio entre empresários e políticos para cassar o mandato de Bernal porque tiveram interesses contrariados na prefeitura. Baird teria pago vantagens indevidas aos vereadores para garantir o golpe em março de 2014.

A história é semelhante a do empresário João Amorim, preso desde maio na Operação Lama Asfáltica. Acusado de ser um dos sócios de fato da Solurb, a concessionária do lixo, ele teria articulado a cassação após a empresa levar calote.

Bernal chegou a anular o contrato com a Solurb, mas o decreto foi revogado por Marquinhos Trad (PSD) no início de 2017.

A homologação do novo contrato com a PSG será feita por Marquinhos após a fase de recurso. A Dataway recorreu contra a desclassificação e tentar vencer o contrato.

violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana