Menu
Busca Ter, 19 de janeiro de 2021
(67) 9.9928-2002
Uniformes

MPE investiga empresa que ficou rica após vender uniformes à prefeitura da Capital

12 abril 2018 - 09h44Por Alcides Bernal
O MPE (Ministério Público Estadual) vai investigar a contratação da Reverson Ferraz da Silva ? ME, sem licitação, para fornecer uniformes aos alunos da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande. A Prefeitura pagou R$ 8,568 milhões à empresa de Cerquilho, interior de São Paulo, que atrasou a entrega em mais de quatro meses.O contrato milionário permitiu que a empresa elevasse o capital social em 700%, de R$ 150 mil para R$ 1,2 milhão, conforme consulta feita à Junta Comercial de São Paulo.A abertura de procedimento para apurar eventual improbidade administrativa foi anunciada pelo promotor Humberto Lapa Ferri, da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social.

Marquinhos Trad (PSD) contratou a pequena empresa paulista por meio de adesão à ata da Prefeitura da Estância Turística de Embu das Artes (SP) para evitar atraso na entrega dos uniformes aos 100 mil estudantes das escolas municipais. No entanto, a empresa não conseguiu dar conta da demanda e a entrega do vestuário só foi concluída em agosto do ano passado.

O contrato foi o negócio da China para a pequena empresa paulista. De acordo com o Campo Grande News, ela tinha capital social de R$ 150 mil. Após ser ?premiada? pelo prefeito da Capital, o patrimônio social passou para R$ 1,2 milhão. Além disso, o grupo mudou de denominação para Revemtex e de cidade, para Boituva (SP).

Os problemas foram noticiados na época e não apenas pelo O Jacaré, como o atraso na entrega dos uniformes e a polêmica envolvendo a empresa. No entanto, somente agora, quando a polêmica é outra, o MPE decidiu investigar após denúncia anônima.A polêmica atual envolve a contratação de sete empresas por R$ 22,614 milhões para fornecer uniformes aos estudantes do município. O aumento é de 163% em relação ao montante pago no ano passado e de 391%, comparando-se com a gestão de Alcides Bernal (PP) em 2016, quando foram gastos R$ 4,605 milhões.

A Via Verde Eventos, Comércio e Serviços Ltda ? EPP, com patrimônio de R$ 200 mil, vai receber R$ 4,468 milhões para fornecer tênis aos alunos do berçário até o 5º ano do ensino fundamental. A principal atividade da empresa é ser ?agência de viagem?, conforme a Receita Federal. Contudo, é habilitada para vender uniformes.

Ao contrário do ano passado, Marquinhos licitou os uniformes deste ano.

Sobre a investigação do MPE, antes tarde do que nunca.
violência contra a mulher 2

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Capital pode sofrer com situação semelhante à de Manaus, prevê USP
Campo Grande
Chuvas e temperatura amena em MS, nesta terça-feira.
Mundo
China enfrenta pior surto de covid-19 desde março de 2020
Governo federal
Vacinação contra covid-19 começa ainda hoje nos estados, diz Pazuello
Trânsito
DPVAT: Seguro obrigatório não será cobrado em 2021
Covid 19 em MS
Secretário de Saúde do MS anunciou trazer vacinas contra Covid 19
Tempo
Meteorologia prevê semana chuvosa em Mato Grosso do Sul
Vacina
Enfermeira negra é primeira pessoa vacinada contra covid-19 no Brasil
Vacina
Técnicos da Anvisa recomendam uso emergencial da vacina de Oxford
Campo Grande
Briga de trânsito na V. Aimoré termina com agressão a facão