Menu
Busca Sb, 07 de dezembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Judiciário do MS

O ex-presidiario Gilmar Olarte declarou queé blindado pelo judiciário

30 novembro 2019 - 11h05Por Repórter cidadão

Os réus desistiram da realização de perícia nas movimentações bancárias e evolução patrimonial.

No entanto, o início da audiência de instrução e julgamento da Operação Coffee Break ainda depende do ex-prefeito Gilmar Olarte (sem partido), que tem cinco dias para depositar os honorários do perito ou oficializar a desistência da prova pericial.

Olarte, já condenado há 8 anos e seis meses de reclusão, certamente orientado pelo seu advogado Renê Siufi, vai tentar enrolar o judiciário.

O ex-presidiario Gilmar Antunes Olarte disse em uma das provas constante no processo criminal, que ele (Olarte) é blindado na Justiça e nada vai lhe acontecer"

Ronam Edson disse: " sentamos conversamos com dois desembargadores e eles disseram para fazer assim, assim.. que sentaram sobre o processo do Bernal. Eles (desembargadores) exigiram a nomeação dos filhos deles."

O  ex-presidiario Olarte nomeou para secretário de governo, Rodrigo Pimentel, filho do  des.Sideni Pimentel, e Fábio Leandro, filho do presidente do TJ des. Pascoal Carmelo Leandro.

Até  a presente data Olarte e seus colegas de organização criminosa para prática de corrupção ativa e passiva, estão soltos contando com a prescrição dos processos.

Sideni Soncini Pimentel

 


joenildo, Tania e Pascoal Carmelo Leandro

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENERGISA
Energisa é campeã em desrespeito ao consumidor
Caso Daniel
A Justiça e uma coisa e Judiciário é outra coisa
Fronteira violenta
A cabeça foi cortada ao meio e estava com as outras partes do corpo no tambor.
Campo Grande
Para vender áreas públicas Trad vai acertar com vereadores
Campo Grande
Trad e seus vereadores remanejam 240 milhões
Campo Grande
Trad e suas taxas para o povo pagar
Fronteira
"Quero a cabeça de meu filho" disse a mãe desconsolada
Inflação
A carne foi o item que mais subiu o preço
Fronteira
Dois assassinatos nesta sexta na fronteira
Judiciário
O magistrado corrupto é um "câncer" no judiciário