Menu
Busca Sex, 23 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002
CAPITAL

Problema recorrente, mais um ônibus quebra e tumultua trânsito

Veículo quebrou perto do terminal e escola Hércules Maymone e ficou mais de meia hora parado no lugar

25 janeiro 2019 - 15h10

Denunciado como um problema recorrente por usuários, mais um ônibus do consórcio Guaicurus quebrou no início da tarde desta sexta-feira (25) tumultuando o trânsito na Rua Joaquim Murtinho perto do terminal e escola Hércules Maymone. Além disso, os passageiros tiveram que sair do veículo, que ficou mais de meia hora parado no lugar.

O motorista – que não quis se identificar – disse que o ônibus apresentou um problema na mangueira. O veículo faz a linha 53 - Bairro Arnaldo de Figueiredo/ Coophasul e está rodando há 6 anos.

Devido ao problema mecânico, o veículo ficou parado quase na entrada do terminal. O trânsito foi sinalizado com um triangulo e os motoristas precisavam desviar gerando lentidão no trânsito.

Valmir Ferreira Silva, 18 anos (Foto: Guilherme Henri)Valmir Ferreira Silva, 18 anos (Foto: Guilherme Henri)
Francelina Rocha, 53 anos (Foto: Guilherme Henri)Francelina Rocha, 53 anos (Foto: Guilherme Henri)

 

 

 

 

 

 

 

 

“Somos carregados igual porcos. Daqui a pouco teremos que trabalhar só para pagar ônibus e eles ainda quebram deste jeito. Já recusei muito trabalho só de pensar o transtorno que precisaria passar para chegar até a casa. Isso quando você entra no ônibus e ele não está imundo”, diz a empregada doméstica Francelina Rocha, 53 anos.

Opinião compartilhada pelo repositor de supermercado Valmir Ferreira Silva, 18 anos, que pega quatro ônibus todos os dias para estudar, trabalhar e voltar para casa. “Esses dias mesmo um cadeirante teve que esperar três ônibus no ponto que eu estava no Centro, pois o elevador dos que passavam estavam quebrados”, relata.

Já a estudante Nicolly de Souza Benitez, 20 anos, não considera justo o preço que paga pelo serviço que é oferecido. “Acontece de um veículo quebrar. O ruim mesmo é quando estão superlotados. Acredito que deveriam rodar mais ônibus”, diz.


A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do Consórcio Guaicurus e aguarda retorno.

 

Trânsito intenso na Rua Joaquim Murtinho onde ônibus quebrou (Foto: Guilherme Henri)Trânsito intenso na Rua Joaquim Murtinho onde ônibus quebrou (Foto: Guilherme Henri)

 

 

 

 


 

Valmir Ferreira Silva, 18 anos (Foto: Guilherme Henri)Valmir Ferreira Silva, 18 anos (Foto: Guilherme Henri)
Francelina Rocha, 53 anos (Foto: Guilherme Henri)Francelina Rocha, 53 anos (Foto: Guilherme Henri)
news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana
Saúde
Covid-19: Brasil soma 541,2 mil mortes e vai a 19,3 milhões de casos
Violência
Em vídeo exclusivo, DJ Ivis pede perdão a Pamella e a todas mulheres
Tempo
Ela vem: frente fria vai derrubar temperaturas para menos de 3ºC e causar geada em MS, diz previsão