Menu
Busca Seg, 16 de setembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Campo Grande e os condomínios do crime

Ramez Tebet viu dois assassinats em um mês

11 junho 2019 - 14h30Por jP

Em menos de mês e a poucos metros do apartamento onde Érica Aguilar Pereira, 39 anos, foi assassinada nesta madrugada, o motorista de aplicativo Rafael Baron, de 24 anos, foi morto a tiros pelo foragido do sistema prisional Igor César de Lima de Oliveira, de 22 anos.

Moradores dizem estar assustados com tantos crimes e com a falta de segurança no Condomínio Reinaldo Busaneli, na região do Residencial Ramez Tebet, no sul de Campo Grande.

 

Quem realizou o sonho da casa própria, vive pesadelo de ter casa invadida e furtada, de ser assaltado ou pior, relata moradora.

Érica tentou se proteger de ladrões. Além da porta de madeira, a entrada da do apartamento onde vivia com os filhos tinha grade de ferro, como vários outras unidades do condomínio. Ela, contudo, não conseguiu se livrar do namorado e nesta madrugada, foi morta a sangue frio.

Vizinhos sabem que equipamentos de segurança e nem ninguém poderia impedir a morte de Érica, mas acreditam que se as 44 câmeras instaladas pelos corredores e área externa, teriam mais tranquilidade. “Se essas câmeras tivessem funcionando, poderia inibir essa violência aqui dentro”, afirma moradora, de 26 anos, que pediu para ter a identidade preservada.

 A vizinha, de 31 anos, concorda. “A falta de segurança é total. Aí na frente tem muito assalto. Ficou uma bagunça. As pessoas meio que se revoltaram, não pagam o condomínio e o condomínio não evolui”.

 

A dona de casa reclama da fama do conjunto residencial. “Agora estão colocando portão na frente, mas a tela dos fundos está furada. Essas coisas desvalorizam o lugar, fica um condomínio mal visto”.

Para outra entrevista, que também pediu para ter a identidade preservada, moradores perderam a confiança de morar ali. “O sonho da casa própria está virando um pesadelo”.

A síndica Cleonice da Silva Dias diz entender a reclamação dos moradores, mas diz que quase nada pode fazer diante da inadimplência com a taxa de condomínio, hoje em R$ 756 mil. “Tem 1 ano que assumi [a administração]. Se não tivesse inadimplência, tinha mais melhorias”.

Ela adiantou que pretende contratar segurança para a portaria e que das 44 câmeras, 16 serão colocadas em funcionamento por enquanto.

A revelação generalizada é com a ausência da prefeitura e do governo do estado, virou terra do poder paralelo. Estamos com medo, desabafou um morador do condomínio Ramez Tebet.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

246 KG
Com 246 kg, homem pede socorro e inicia tratamento para fazer cirurgia: 'Não consigo sair com minha família'
Caso raro!
Um redemoinho de fogo assustou produtores rurais na região rural de Santa Helena de Goiás
Economia
Preço do petróleo sobe após ataques na Arábia Saudita
Campo Grande
É o civismo pré-campanha eleitoral dos Vereadores da capital.
Sequestro
Pai pede para segurar bebê e sequestra criança em praça em MS
Interior
Fogo atinge fazenda de Bodoquena e avança em direção à área urbana
50 TIROS
Casal e criança são mortos com cerca de 50 tiros, em Ponta Grossa
Política
Bolsonaro fala sobre julgamento envolvendo autor de facada
Briga causada pelo dinheiro
MS: Homem que matou amigo por causa de moai vai para prisão domiciliar com tornozeleira
Política
Deputado banca bebida alcoólica com dinheiro público