Menu
Busca Dom, 01 de agosto de 2021
(67) 9.9928-2002
CAPITAL

Santa Casa pode perder unidade de Trauma se deixar o SUS

Acordo feito na Justiça determina usufruto da União sobre prédio da Capital

17 janeiro 2019 - 10h10

A Santa Casa de Campo Grande pode perder a Unidade  do Trauma - que fica anexo ao hospital - caso pare de atender os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O presidente da Sociedade Beneficente de de Campo Grande (ABCG), Esacheu Nascimento,  teria dito que caso não tenha um reajuste da tabela SUS ainda este ano, deve parar de atender a demanda pública.  

A coordenadora do Conselho Municipal de Saúde em Campo Grande, Maria Auxiliadora Villalva Fortunato, criticou a fala do presidente  sociedade - que administra a  Santa Casa, maior hospital de Mato Grosso do Sul. 

“Acredito que o senhor Esacheu foi infeliz na afirmação de romper convênio com o SUS. Primeiro porque 85% do atendimento realizado no hospital é ressarcido pelo governo federal. Além disso, como é possível fazer este tipo de ameaça já que os recursos públicos possibilitaram a conclusão e funcionamento do Hospital do Trauma”, observa a conselheira.

Maria Auxiliadora esclarece que o conselho já solicitou uma reunião com o presidente da Santa Casa, a fim de solicitar explicações sobre o anúncio feito à imprensa de Campo Grande, no início da semana. No entanto, até o momento, a coordenadora não obteve retorno da solicitação.

 

RISCOS 

Mesmo a unidade do trauma estando dentro do perímetro da Santa Casa, o prédio é de usufruto da União e, conforme o contrato assinado em 2011 e divulgado pelo Conselho Municipal de Saúde, “foi assumido o compromisso de constituir usufruto, em favor da União, do futuro prédio que abrigará a unidade de traumatologia/ortopedia, a ser edificado no imóvel objeto desta matrícula”, consta no documento de emolumentos. 
A coordenadora do Conselho Municipal de Saúde destacou que as declarações do representante da Santa Casa vão contra a missão da instituição, que é prestar serviço de atendimento de saúde, com fins filantrópicos.

 

FÓRUM DOS USUÁRIOS

O representante do Fórum dos Usuários do SUS em Mato Grosso do Sul, Sebastião Arinos Júnior, também se posicionou sobre as declarações e avisou que, por intermédio de uma decisão judicial, o prédio do Hospital do Trauma foi empenhorado em favor da União, em razão de uma dívida não quitada pela Santa Casa.

“É importante esclarecer que existe uma decisão da Justiça, a qual penhorou o prédio do Trauma, em favor do governo federal. Então, a Santa Casa não pode simplesmente decidir que não atenderá mais os usuários do SUS. Se isso chegar a acontecer, é possível solicitar judicialmente o ressarcimento de todos os investimentos feitos na instituição com dinheiro público”, argumenta o 
representante.

Júnior acrescenta ainda que a medida é chamada de requisição de bens, diferente de interdição, já registrada entre os anos de 2005 e 2013, na Santa Casa de Campo Grande. “É possível requerer os bens do SUS utilizado na compra ou construção do hospital, a fim de garantir a continuidade do atendimento realizado à população. Além disso, o prédio do Hospital do Trauma pertence à União”, complementa. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte:correioestado

 

CORONA 3

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana