Menu
Busca Sb, 17 de agosto de 2019
(67) 9.9928-2002
Vereadores de CG custam mais de 60 milhões

Site de notícias denúncia inutilidade dos vereadores de Campo Grande.

29 vereadores consomem 64 milhões por ano.

17 maio 2019 - 09h30Por Foto de sessão improdutiva da câmara municipal de Campo Grande

Denúncia

Em seis sessões ordinárias da Câmara de Campo Grande, entre os dias 14 de março e 2 de abril, os vereadores gastaram 2 horas e 18 minutos lendo moções de congratulações. As leituras no plenário das homenagens prestadas pelos parlamentares a pessoas, empresas e instituições que atuam na Capital tomaram, em média, 23 minutos do tempo total de cada sessão.

Apenas na sessão ordinária do dia 26 de março, por exemplo, o tempo gasto com as moções de congratulações chegou a 29 minutos, que representou cerca de 15% das quase 5 horas da sessão do dia.

Além do tempo gasto nas sessões ordinárias, as homenagens na Câmara Municipal também representam gasto. Para “otimizar” o tempo com leituras de moções de congratulações nas sessões ordinárias da Casa de Leis e diminuir os custos com solenidades, o vereador André Salineiro (PSDB) tenta emplacar dois projetos de resolução, que limita as homenagens na Câmara.

Salineiro iniciou as articulações para tramitar as medidas em março deste ano, mas o tucano não conseguiu as assinaturas necessárias. O vereador precisa do apoio de 1/3 dos vereadores, ou seja, 10 assinaturas do total de 29. Ele chegou conseguir as 10 as assinaturas necessárias, mas cinco parlamentares retiraram o apoio e o projeto foi arquivado.

Sessão solene - No primeiro projeto, do dia 19 de março, consta que o gasto para realizar as sessões solenes, reuniões comemorativas da Casa, é de cerca de R$ 13 mil por mês. O valor gasto com a compra de banner, painéis, medalhas, convites e diplomas usados para as homenagens feitas pelos vereadores de Campo Grande nas sessões solenes. De acordo com Salineiro em 1 ano e meio, a Casa gastou R$ 245 mil.

O parlamentar também elaborou um projeto de resolução que altera o regimento interno na Casa, prevendo que as sessões solenes temáticas ocorram apenas uma vez por legislatura, ou seja, uma a cada quatro anos.

O texto ressalta que o objetivo não é extinguir as solenidades, mas “enxugar a máquina pública” e que a “redução impactaria em menos custos”.

Moção de congratulação – Em um dos projetos de resolução do tucano, o texto prevê que cada vereador possa fazer a leitura de apenas uma moção de congratulação por sessão ordinária para cada um dos 29 parlamentares.

O projeto ainda ressalta que a medida não pretende é acabar com as homenagens ou liminar o concessão, mas evitar que a leitura “prejudique o andamento das sessões, uma vez que o principal objetivo é a discussão de pautas que sejam efetivamente essenciais para a população”.

Valdir Gomes rende homenagens, apostas nas flores de suas redes e ataca o próprio partido.

A verdadeira sensação é de que estão na câmara municipal um bando de desocupados e deslumbrados por exercerem um mandato que tem começo e fim.

Com informações, Campo Grande News e redação do Notíciasvip.

Defesa do Consumidor

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ponta Porã
Homem descumpre Medida Protetiva, diz que vai cortar cabeça da mulher e é preso em Ponta Porã
Brasil e seus Bolsonaros
Militares farão meio expediente para economizar porque o Brasil do Bolsonaro não tem dinheiro.
Black Friday está próximo
Governo lança a Semana do Brasil, a 'Black Friday da Independência'
Famosos/Política
Lula sobre o Véio do Havan: “parece o Louro José. Qualquer dia a Ana Maria coloca ele em cima da mesa”
Eleições 2020
André quer ser prefeito, é cara de pau, dinheiro, partido e conhece seus cupinchas.
Escândalo com recursos públicos
Coringa, Bilú, ET, Governador e deputados serão homenageados pela camarilha
Gestão bolsonarista
Após sete meses, Damares Alves não investiu nada na Casa da Mulher Brasileira
Política - eleição 2020
Não adianta os adversários quererem acabar com o Progressistas porque ele vai lançar bons candidatos majoritários,vereadores e vereadoras
Justiça
PGR pede acesso a inquérito sobre investigação do caso Marielle
Economia
Situação piora e Anatel avalia até uma intervenção na Oi