Menu
Busca Qua, 12 de maio de 2021
(67) 9.9928-2002
Golpista

Vítima desconfia e polícia desvenda esquema estelionatário de falsas vendas de casas da Emha

Por Carol Assis
Bem apresentável, com residência fixa e muito bom de conversa, era assim que o assistente administrativo Wagner Pinto de Souza Junior, 34 anos, conquistava suas vítimas, apelando para o sonho de milhares de brasileiros: a casa própria. Após denúncia, a polícia prendeu o estelionatário, mas para quem caiu no golpe fica o prejuízo e a indignação.

Ele  falava que ia facilitar pra gente, se tivesse o cadastro da Emha (Agência Municipal de Habitação).Ele pegou
 R$ 3 mil de entrada e desapareceu. Foram muitas pessoas que caíram no golpe desse cara. Fiquei sabendo que foi preso, mas o dinheiro eu perdi, conta o maquinista André Soares Gomes, 36 anos.

A secretária Sonia Aparecida de Freitas, 46 anos, foi outra vítima do estelionatário. Ela conta que Wagner era cliente do escritório onde trabalhava e enganou mais três conhecidos seus. Para ela, chegou a indicar onde seria a casa e até a levou em sua própria residência, no Parque Residencial União.

Na época ele me pediu um cheque de R$ 2 mil. Ele ia arrumar uma casa no residencial Celina Jallad, pegou meus documentos todos, mas as casas foram entregues e eu não recebi. Vi na televisão e fui cobrar. Eu ligava, no começo ainda me atendia, dizia que ia entregar a casa, depois devolver meu dinheiro. Me passou o telefone da mãe dele, mas ela não queria mais me atender e percebi que ele não ia me pagar,relata.

Sônia fala sobre a frustração de não ter o sonho realizado. Quem não quer ter sua casa própria? Ele parecia confiável, eu tenho testemunhas, o canhoto do cheque que ele descontou no Bradesco. Ele falava que era da prefeitura, pediu cópia dos meus documentos, falou onde ia ser a minha casa. Entregaram as casas e cadê a minha, lamenta a secretária.

A prisão

Wagner foi preso em 5 de abril e encaminhado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga. Segundo o boletim de ocorrência, ele foi emboscado por uma das vítimas, que percebeu o esquema e denunciou o crime para as autoridades policiais.

A última vítima, um homem de 59 anos, conta que Wagner se apresentou como funcionário da prefeitura e garantiu a casa com uma entrada de R$ 1,5 mil. Animado com a proposta, o homem indicou mais 12 pessoas, que, juntas, entregaram cerca de R$ 18 mil para o suspeito, mas começaram a relatar dificuldades para contatá-lo.

Desconfiado, o homem acionou a polícia militar, ele então marcou um encontro com Wagner para repassar o valor da entrada. O estelionatário o buscou em casa e foi até o banco com ele, onde os policiais o aguardavam.

Na delegacia, os investigadores descobriram o registro de uma ocorrência de outra vítima e iniciaram o inquérito, ouvindo todas as testemunhas.
O rapaz foi encaminhado para o presídio de trânsito e aguarda julgamento.

violência contra a mulher

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tempo e temperatura
MS tem predomínio de tempo seco e calor de 36°C para a região pantaneira
Covid 19
Dezenas de corpos de possíveis vítimas da covid aparecem na Índia
Campo Grande
Moradores de bairros reclamam de sujeira e insegurança em Campos Grande
Saúde
Após ultrapassar mais de seis mil mortes, MS registra 653 novos casos da Covid-19
Mato Grosso do Sul
Novos secretários da Casa Civil e da Cidadania tomam posse nesta segunda-feira
Campo Grande
Infestação de pragas urbanas alarma moradores de Campo Grande
Vacina
Mato Grosso do Sul recebe novo lote de vacina da Pfizer nesta segunda-feira
F1
Hamilton sobre GP da Espanha de F1: “Aprendi muito sobre Max hoje”
Poluição
Marinha: três navios são suspeitos por manchas de óleo no NE em 2019
Saúde
Fiocruz: pandemia de covid-19 faz vítimas cada vez mais jovens