Menu
Busca Qui, 17 de junho de 2021
(67) 9.9928-2002
Ativismo

Ator norte-americano presta solidariedade à família de Marielle Franco

28 maio 2018 - 20h09Por Redação Notícias VIP
Embaixador da Organizações das Nações Unidas (ONU) para os direitos humanos e as questões étnicas, o ator norte-americano Danny Glover conversou nesta segunda-feira (28) com Marinete Silva e Antonio Franco, pais da vereadora Marielle Franco(PSOL-RJ), morta em 14 de março. O encontro foi organizado pela Comissão Popular da Verdade do Rio de Janeiro.

Antonio Franco, pai de Marielle Franco, emocionou-se ao falar da filha com o ator. ?Minha filha foi covardemente assassinada porque defendia o povo pobre?, disse. ?A dor de todos nós que acompanhávamos o trabalho de Marielle é insuportável?, reagiu Danny Glover.

Marielle Franco e o motorista Anderson Pedro foram assassinados a tiros no bairro do Estácio, região central da capital carioca. Eles saíam de um compromisso político quando o carro em que estavam foi alvejado. A vereadora era conhecida pela militância em favor das minorias e contra a ação das milícias no Rio de Janeiro. O crime ainda é investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Vandalismo

No fim de semana, um painel com a fotografia em preto e branco do rosto de Marielle Franco, produzido por voluntários e militantes de direitos humanos, foi pichado em São Paulo. O painel era uma homenagem à vereadora.

Para os admiradores de Marielle Franco, o ato foi vandalismo, pois além da fotografia da vereadora ter sido pichada, as frases relacionadas às ações dela foram apagadas.

O Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) repudiou a pichação e definiu o ato como de "intolerância e ódio". Representantes do movimento em São Paulo apresentarão um ofício à Secretaria de Segurança Pública de São Paulo solicitando a investigação do ato.

"Repudiamos o ato de vandalismo, que representa mais um ato de intolerância e de ódio porque o monumento representa a luta de Marielle pelos direitos humanos, pela igualdade de gênero, a luta contra a letalidade policial, contra o genocídio da população negra e periférica e pela livre orientação sexual. Cobraremos das autoridades uma apuração e também nos solidarizamos à família da Marielle porque é um ato doloroso a sua memória", disse Julian Rodrigues, integrante do MNDH de São Paulo. 

Com informações da Agência Brasil e Telesur.
news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Semana começa com restrições em 43 cidades do MS; confira o que pode e não pode
Mato Grosso do Sul
Última semana de outono será de tempo firme e temperaturas agradáveis em MS
UEFA Euro 2020
Veja a repercussão dos jornais internacionais do mal súbito de Eriksen em Dinamarca x Finlândia
Campo Grande
Com 43 municípios em risco extremo, começa a valer nova classificação do Prosseguir
Tempo e temperatura
Domingo de tempo firme e temperaturas agradáveis em Mato Grosso do Sul
Geral
5 flores para plantar em junho e deixar seu jardim mais colorido
Mato Grosso do Sul
Secretaria de Estado de Saúde transfere mais quatro pacientes para São Bernardo do Campo nesta sexta-feira
Geral
Ford: R$ 10 milhões pelo ralo diariamente
Octógono
Douglas Lima é dominado por ucraniano e perde cinturão do Bellator
Tempo e temperatura
Tempo contribui para clima agradável com sol e friozinho no dia dos namorados