Menu
Busca Dom, 20 de junho de 2021
(67) 9.9928-2002
instituição

Campanha quer reabrir sala de dinossauros do Museu Nacional, no Rio

13 maio 2018 - 17h48Por Redação Notícias VIP
A reabertura de uma das principais atrações do Museu Nacional está nas mãos do público. Às vésperas de completar 200 anos, a instituição - a primeira de estudos científicos no país - hoje vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro, lançou um financiamento coletivo para remontar a reprodução do dinossauro Maxakalisaurus topai.

Com 13 metros de cumprimento, da cauda à cabeça, o bicho está entre os maiores dinossauros do país e o foi o primeiro de grande porte a ser montado no Brasil. Ficou em exibição desde 2006, no entanto, no fim de 2017, um ataque de cupins destruiu a estrutura de sustentação do esqueleto e a exibição teve de ser fechada. Atualmente, parte das peças maiores, do fêmur e costelas, por exemplo, está amontoada em um canto da sala. Outras, menores, em caixas.

Por meio da campanha na internet, a expectativa dos organizadores é arrecadar R$ 30 mil e abrir a sala com o Maxakalisaurus, também chamado de dinoprata, a atração principal, até junho. No segundo piso, a sala exibia também réplicas de animais que conviveram no mesmo período, no Brasil, como pterossauros, jacarés extintos, invertebrados e plantas.

?Ao reabrir esta sala, daremos ao visitante a oportunidade de vivenciar um pouco mais sobre a evolução da vida na Terra, especificamente, nesse pedacinho chamado Brasil?, disse o diretor do museu e paleontólogo Alexander Kellner, um dos entusiastas dos dinossauros e descobridor do dinoprata. ?Vamos atingir milhares de indivíduos, sobretudo, estudantes, despertando novas vocações, e atuando na difusão científica junto à população?, completou.

O Maxakalisaurus era herbívoro (só comia plantas), pesava até 9 toneladas e viveu no período Cretáceo, há mais de 80 milhões de anos, na região onde fica hoje o município de Prata, em Minas Gerais. A reconstrução completa do réptil, com ossos feitos de resina, ficava à mostra junto com alguns fósseis reais do bicho, que por serem frágeis, estão guardados.

Para a reconstrução da base de madeira há várias formas de doar, a partir de R$ 20, até o dia 4 de junho. Em troca, são ofertadas recompensas como réplicas de dentes de dinossauros, camisetas, canecas e até um desenho original feito pelo paleoartista Marílio Oliveira. As doações são feitas após cadastro no site da campanha.

Depois da sala dos dinossauros, o Museu Nacional quer recuperar a ala da baleia jubarte, fechada há 20 anos. O diretor Kellner explica que trata-se de ossos originais, inteiros, de uma baleia jubarte encontrada em Parati. ?É uma raridade ter uma baleia nessas condições?. Para voltar a exibi-la, Kellner estima a necessidade de arrecadar R$ 1 milhão. ?Queremos fazer uma exibição de primeiro mundo, com iluminação e interatividade à altura?, disse.

Recentemente, a reitoria da UFRJ apresentou, em audiência pública, um balanço das condições financeiras da universidade. Os gestores confirmaram que passam por dificuldades, com corte nos investimentos, devido ao contingenciamento de verbas pelo governo federal. 

Com informações da Agência Brasil.
news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Semana começa com restrições em 43 cidades do MS; confira o que pode e não pode
Mato Grosso do Sul
Última semana de outono será de tempo firme e temperaturas agradáveis em MS
UEFA Euro 2020
Veja a repercussão dos jornais internacionais do mal súbito de Eriksen em Dinamarca x Finlândia
Campo Grande
Com 43 municípios em risco extremo, começa a valer nova classificação do Prosseguir
Tempo e temperatura
Domingo de tempo firme e temperaturas agradáveis em Mato Grosso do Sul
Geral
5 flores para plantar em junho e deixar seu jardim mais colorido
Mato Grosso do Sul
Secretaria de Estado de Saúde transfere mais quatro pacientes para São Bernardo do Campo nesta sexta-feira
Geral
Ford: R$ 10 milhões pelo ralo diariamente
Octógono
Douglas Lima é dominado por ucraniano e perde cinturão do Bellator
Tempo e temperatura
Tempo contribui para clima agradável com sol e friozinho no dia dos namorados