Menu
Busca Ter, 20 de agosto de 2019
(67) 9.9928-2002
Chernobyl

Está aí a vodka “Atomik”, produzida em Chernobyl. E "não é mais radioativa" do que as outras

Um grupo de cientistas britânicos e ucranianos iniciaram um projeto de plantação agrícola na zona de exclusão de Chernobyl. O centeio e água extraídos deram origem à vodka Atomik. E os investigadores garantem que a bebida “não é mais radioativa do que qua

13 agosto 2019 - 17h17

Trata-se do primeiro produto feito a partir dos terrenos circundantes ao centro da explosão nuclear de 1986. Ao longo dos últimos anos, vários especialistas têm trabalhado naquela área com o objetivo de perceber como a terra tem recuperado do acidente, avaliando o processo de contaminação e transferência de radioatividade.

"O nosso plano era [usar o grão de centeio] para fazer uma bebida espirituosa" explica um dos cientistas, citado pela BBC. Acabou por ser uma vodka, uma bebida destilada, com cerca de 40% de teor alcoólico, muito popular na Rússia e na Polónia, mas também noutros países da Europa de Leste. Por enquanto existem poucos exemplares, mas a ideia é multiplica-los e comercializar a bebida, usando as receitas para ajudar as comunidades economicamente afetadas pelo desastre.

Mas a pergunta que se impõe talvez seja: é mesmo seguro beber vodka proveniente de Chernobyl?

Os cientistas dizem que sim. A destilação do centeio “ligeiramente contaminado” e da água garante que a impurezas sejam removidas e, como tal, seja seguro consumir a bebida. "Pedimos a nossos colegas da Universidade de Southampton, que têm um laboratório incrível de análise de rádio, para ver se conseguiam encontrar radioatividade. (…) Eles não conseguiram encontrar nada - tudo estava abaixo do limite de detecção" afirma Jim Smith, da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido.

Gennady Laptev, cientista do Ukrainian Hydormet Institute, em Kiev e membro fundador da recém-criada Chernobyl Spirit Company, explica que “não precisamos abandonar a terra. Podemos usá-la de diversas maneiras e podemos produzir algo que ficará totalmente limpo da radioatividade".

As garrafas de Atomik começarão por ser vendidas em Chernobyl e espera-se que tenham sucesso entre os turistas que todos os anos visitam a cidade.

Com informações, Visão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Witzel consulta Mourão sobre reestruturação do comando da PMRJ
Tempo
Frente fria avança em MS e Inmet faz alerta sobre queda brusca de temperatura
Economia
Dólar volta a subir e fecha no maior valor em três meses
Meio Ambiente
Bruxelas plantará uma árvore para cada recém-nascido
Luta pela democracia
Brasileira que participou de protestos em Hong Kong diz que ameaça chinesa não vai parar manifestantes
Fênomeno raro
FUMAÇA DE QUEIMADAS NA AMAZÔNIA ESCURECE CIDADES DO CENTRO-OESTE E SUDESTE
Além de política, até no entretenimento
Conflitos em Hong Kong chegam ao cinema com Jackie Chan e Mulan
Fora de sí
Jovem atropela padrasto, sobe no telhado e ameaça se matar
Covardia
Três moradores de rua são atropelados no centro de SP
Política
Parecer revela o que mais inquieta Moro na Lei do Abuso