Menu
Busca Sex, 04 de dezembro de 2020
(67) 9.9928-2002
LOS SILENCIOS

Filme brasileiro é comparado a tailandês premiado em Cannes

11 maio 2018 - 20h05Por Redação Notícias VIP
O filme "Los Silencios", coprodução internacional dirigida pela brasileira Beatriz Seigner, guarda o mesmo clima místico do premiado cineasta tailandês Apichatpong Weerasethakul. Em ambos os casos, vivos e mortos perambulam pela selva e invadem a cena sem que sejamos mais capazes de dizer quem é quem.

A comparação com o diretor asiático, que ganhou a Palma de Ouro em 2010 por "Tio Boonmee", foi rapidamente notada pela imprensa estrangeira. Foi o caso da revista especializada "Screen", que guardou elogios à obra de Seigner.

"Los Silencios" foi exibido na Quinzena dos Realizadores, mostra paralela à seleção oficial do Festival de Cannes, nesta sexta (11). A sessão contou com uma plateia formada em grande parte por latino-americanos -o filme também é uma parceria com os colombianos.

A trama, que Seigner afirma ter sido inspirada na história contada por uma amiga, é ambientada na fronteira borrada entre Brasil, Peru e Colômbia e tem como pano de fundo o confronto entre as Farc e os paramilitares nesse último país.

Quando a obra começa, Amparo (Marleyda Soto) e seus dois filhos pequenos estão fugindo do conflito armado, que tirou a vida do marido. Encontram abrigo na palafita de uma tia e esperam conseguir migrar para o Brasil com status de refugiados.

Mas para isso, é necessário que a mulher comprove a morte violenta do marido, cujo corpo não foi encontrado.

É aí que o filme rompe com o tom naturalista e abraça a espiritualidade que o faz ser comparado à produção de Apichatpong. A filha mais velha de Amparo tem visões de um sujeito que visita a casa depauperada onde estão morando. Estaria ele vivo, escondido, ou trata-se de um fantasma?

Seigner usa como base atores achados na comunidade local, o que acaba dando um revestimento documental a seu filme. Quando eles falam sobre o conflito na Colômbia já não se sabe se são personagens ou se falam da própria experiência.

A revista Hollywood Reporter também saudou o desfecho do filme, um "chute no estômago emotivo que chega com toda a força." 


Com informações da Folhapress.
racismo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Senado aprova PL sobre prioridade de vacinação da covid-19
Esporte
Russell substituirá Hamilton na Mercedes no GP do Sakhir
Alerta
Com avanço da Covid, Mato Grosso do Sul registra média de mil casos por dia
Campo Grande
Prosseguir: Governo volta a registrar municípios em grau de risco extremo
Saúde
Agências do Detran em Ladário e Mundo Novo suspendem atividades por suspeita de Covid-19 entre servidores
Política
Agehab notifica mutuários de Nova Andradina por inadimplência
Brasília
Senado inclui organizações sociais na suspensão de cumprir metasEu
Esporte
Barcelona deveria ter vendido Messi, diz presidente interino
Campo Grande
Estadual de Futebol 2020: empate por 1 a 1 garante classificação do Operário à semifinal
Campo Grande
Especialistas veem na energia fotovoltaica oportunidades para desenvolvimento na agricultura familiar