Menu
Busca Qui, 20 de junho de 2019
(67) 9.9928-2002
amor sem fronteiras

Junto há 22 anos após amor à 1ª e a 2ª vista no mercado, casal fala: 'Dia dos Namorados não é nada perto de romance diário'

Aposentados vivem em sítio de MS, porém, fazem declarações de amor inclusive nas redes sociais e viajam anualmente de moto ou motorhome.

12 junho 2019 - 17h15

"Tia, sai fora, ele é policial". Se o comentário da sobrinha valesse, o casal junto há 22 anos não estava aqui para contar história. Mas fato é que eles casaram, garantem que o amor à 1ª vista existe sim e falam que o Dia dos Namorados não é nada perto da vida diária de romance. Tudo isto aliado a vida no sítio no interior de Mato Grosso do Sul, declarações rotineiras de amor, inclusive nas redes sociais e viagens mundo a fora, seja no motorhome ou em uma motocicleta.

O encontro, realmente, parece história de roteiro de filme romântico. O inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) aposentado, Josino Pereira Mota, de 53 anos , conta que foi no ano de 1997, em um supermercado de Campo Grande. "Eu estava na fila do caixa e ela também. Quando a vi, pensei: eu quero esta mulher. Eu bati o olho nela e já quis conversar, me aproximar, só que não tive oportunidade nenhuma para falar com ela", comentou.

Um mês depois, Josino disse que o destino os juntou novamente. "Eu fui em outro supermercado e ela estava lá. Foi quando eu pensei que agora precisava me aproximar de qualquer jeito. Eu cheguei a dar a volta no carro pensando no que ia falar e, quando parei, ela estava colocando as sacolas no carro dela, acompanhada da mãe. Eu fiz aquela pergunta boba que todo mundo faz: Te conheço de algum lugar, né?! E ela falou que poderia ser pelo fato de ser farmacêutica", contou.

Casal diz que Dia dos Namorados não é nada perto de romance diário que eles vivem em MS — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal
Casal diz que Dia dos Namorados não é nada perto de romance diário que eles vivem em MS — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal

Ao final, Maria Neide Busanelli Mota, de 57 anos, deu o cartão para ele. "Fiquei sem jeito, mas, consegui pedir o contato para continuar conversando. Acontece que eu perdi o bendito cartão, porém, guardei na memória o fato dela dizer que tinha farmácia no bairro Mata do Jacinto. Na primeira perguntei por uma moça loira, mas, ninguém conhecia. Na segunda a mesma coisa. Já na terceira o balconista me apontou para a sala dela e eu a vi com a sobrinha", relembrou.

 

Segundo encontro foi "a melhor coisa do mundo"

" Na ocasião, Josina fala que ela disse a ele para "passar outra hora". No segundo encontro, eles saíram e teve o comentário da sobrinha. "Eu estava saindo quando ouvi ela dizer. Fiquei com medo, mas, deu tudo certo e posso dizer que foi a melhor coisa do mundo. Se eu tivesse que escolher uma mulher para viver junto, não teria tudo o que ela tem. Nós viajamos, rodamos grande parte do mundo e agora vivemos em uma casa perto de um rio, em Anaurilândia", afirmou " 

Conforme o aposentado, o lugar é isolado e a única coisa que sentem falta são dos filhos e netos. "Nesse tempo todo nós nunca discutimos. Óbvio que ela tem grandes responsabilidades e somos muito apaixonados, eternos namorados. Hoje sei que é um dia especial para a maioria, mas, para mim todos os dias tem amor por aqui. Hoje é apenas dia de dar uma flor, apenas simbólico", avaliou.

Casal está junto há 22 anos e se encontraram pela primeira vez em mercado de MS — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal

Casal está junto há 22 anos e se encontraram pela primeira vez em mercado de MS — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal

Recém separado e pai de três filhos, Josino fala que todos se dão muito bem. "A mãe dos meus filhos é uma excelente pessoa, uma excelente mãe, mas, não deu certo. Ela também tinha um filho e nós conseguimos amar a todos intensamente. Posso dizer que um filho e um neto do coração são a mesma coisa, não tem medidas. Eles vão de 31 a 38 anos e temos um amor intenso por todos", argumentou.

Entre tantas viagens, o aposentado conta que a última foi até a Colômbia. "Foram 18 mil km. O penúltimo foi 14 mil km de moto e a anterior fizemos até o oceano pacífico, de moto, em torno de 7 mil km na região dos lagos andinos, que fizemos de moto também. Agora em dezembro, se Deus assim permitir, vamos viajar novamente de três a quatro meses de motorhome", ressaltou.

Casal de MS já percorreu milhares de quilômetros em moto ou em motorhome  — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal
Casal de MS já percorreu milhares de quilômetros em moto ou em motorhome — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal

A farmacêutica aposentada fala que o marido é um "baita companheiro" para tudo. "Ele é muito romântico, é uma pessoa maravilhosa e também continuo muito apaixonada. Hoje teve café da manhã com mesa mais colorida. Na verdade, acredito que tudo tem seu momento, seu tempo. Nós nos casamos, ficamos 17 anos em Santa Catarina e agora estamos aqui. Foi engraçado, viemos para ficar apenas alguns dias, mas, fomos amadurecendo a conversa até que decidimos vender o nosso apartamento e ficar por aqui. Vivemos em um condomínio fechado, com segurança, então podemos viajar com segurança e aproveitar cada momento", finalizou.

Marido usa redes sociais para fazer declarações românticas a esposa em MS — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal
Marido usa redes sociais para fazer declarações românticas a esposa em MS — Foto: Josino Pereira/Arquivo Pessoal

Com informações, G1 MS.

Liberdade de expressão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Nova Alvorada do Sul
Celular pega fogo e quase queima uma casa
Facção Criminosa Comando Vermelho
Luiz Queimado faleceu na Bahia
Dourados
A covardia e as consequências de escolher mal o namorado
Água Clara
Vereadora é cassada por corrupção
Nova Andradina
As pistas do MS são perigosas pala falta de manutenção e de motorista com imprudência
Bolsonaro esculhamba militar
BOLSONARO REAGE A SANTOS CRUZ E DIZ QUE GENERAL É 'PÁGINA VIRADA'
CORREIOS
Discursos, sem menor preocupação, servem para Bolsonaro se livrar de seus assessores
TECNOLOGIA
Google lançará aplicativo para competir com Whatsapp; novo sistema deve incomodar telefônicas
Armas, drogas e celulares
PCC assassinou dez pessoas do Clã Rotela
Campo Grande, cadê o prefeito?
A incompetência de um prefeito causa.tristeza e dor nas pessoas