Menu
Busca Dom, 01 de agosto de 2021
(67) 9.9928-2002
AUTOMÓVEIS

A evolução da potência e consumo dos carros americanos desde 1975

Motores mais eficientes e carros mais leves permitiram dobrar a potência com metade do consumo

24 janeiro 2019 - 16h35

Um levantamento da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) mostra que a potência dos carros vendidos por lá quase dobrou nos últimos 42 anos. Ao mesmo tempo, o consumo caiu pela metade.

O ponto de partida para a pesquisa é o ano de 1975, quando a indústria automotiva americana começava a se adaptar aos efeitos da Crise do Petróleo. O Brasil tentou contornar a situação com o Próalcool; nos EUA a alta nos preços do ouro negro deu origem a carros estranhos, como o Ford Mustang 2.3 aspirado com 90 cv.

Em meio à crise, a EPA estabeleceu que a indústria automotiva deveria atingir uma meta de consumo de 11,7 km/l (25 milhas/galão) até 1985 – àquela altura, o consumo médio estava na casa dos 6 km/l.

O jeito mais fácil e barato de alcançar a meta foi reduzir o deslocamento e a potência dos veículos. Se em 1975 a média era de motores 5.3 L com 147 cv, em 1983 o deslocamento médio caiu para 2.4 L, com algo ao redor dos 100 cv.

Como mostra o gráfico abaixo, elaborado pela Bloomberg, a potência dos automóveis só voltou a subir nos anos seguintes. Os 147 cv de 1975 só foram retomados em 1990, mas com algum avanço: a média de deslocamento dos motores havia baixado para cerca de 3.0 L.

 Médias de potência e consumo nem sempre evoluíram de forma linear

Médias de potência e consumo nem sempre evoluíram de forma linear (Bloomberg/Internet)

Hoje, a média de potência dos carros vendidos nos EUA é de 287 cv. Para efeito de comparação, em 1976 o carro mais potente à venda nos Estados Unidos era o Aston Martin DBS, com 289 cv, pouco mais que um Toyota Camry atual.

Os carros americanos também estão mais rápidos. A maioria dos enormes V8 de 42 anos atrás só tinha belos roncos: a média de aceleração de 0 a 60 mph (96 km/h) em 1975 era de 14,1 segundos. Em 2016, foi de 7 s.

Após 1985 houve altos e baixos nas médias de consumo até 2008, quando a bebedeira voltou a cair. Isso não aconteceu por boa vontade das fabricantes, mas pela EPA ter estabelecido uma nova meta de eficiência: alcançar média de 14,9 km/l até 2020.

 Chevrolet Camaro ficou mais potente e esportivo

Chevrolet Camaro ficou mais potente e esportivo (Reprodução/Chevrolet)

Evoluindo ano a ano, a média de consumo chegou aos 12,5 km/l em 2016. Desta vez, porém, a tecnologia conseguiu conter a perda de potência.

O Chevrolet Camaro é um bom exemplo. Sua nova geração tem versão de entrada com motor 2.0 com turbo e injeção direta de 274 cv. Além disso, seu motor V8 6.2 é mais moderno que o anterior: além dos 461 cv (antes, tinha 436 cv), tem sistema de desativação de quatro cilindros quando não são necessários. Além disso, trocou o câmbio automático de seis marchas por um de oito.

Outra coisa que ajuda nos números de eficiência é o peso. Em 1975 o Camaro básico pesava 1.815 kg. Já seu equivalente moderno tem 1.587 kg, mesmo com toda a tecnologia embarcada e as estruturas de segurança de um carro moderno.

O Camaro é apenas um exemplo de carro que foi vendido continuamente nestas quatro décadas. Mas esta evolução é percebida em todos os carros de todos os segmentos. E, sinceramente, em todos os mercados – até no Brasil. Mas sempre com uma “pequena” ajuda dos governos.

 

 

 

fonte:quatrorodas

news

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana