Menu
Busca Qui, 18 de julho de 2019
(67) 9.9928-2002
POLÍTICA

Após tensão com a Câmara, Guedes 'perde' a Previdência para Maia

Deputados acusam ministro da Economia de arrogância e desaprovam inexperiência com política

19 junho 2019 - 18h00

As últimas movimentações do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mostram que o economista perdeu capital político no Congresso. E, no sentido contrário, Maia se fortaleceu como "pai" da reforma da Previdência. 

Considerado no começo do governo Bolsonaro como um "superministro", o economista era blindado por líderes partidários e a cúpula do Congresso. Seu comportamento errático e uma crescente desconfiança do mercado tem afastado os parlamentares. 

O secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, que é ex-deputado, é apontado hoje como o principal nome da articulação com a equipe econômica, mais do que Guedes. 

Além disso, Maia tem se fortalecido cada vez mais em seu papel de fiador independente das reformas. O parlamentar chamou para si (e consequentemente para a Câmara) a Previdência, e seguiu caminho ainda mais solo no caso da tributária, que já chega à fase de comissão especial à revelia do governo. 

A própria relação de Maia com o ministro, então seu protegido, mudou de tom. Depois que Guedes criticou o relatório de Samuel Moreira (PSDB-SP), na sexta-feira (14), o presidente da Casa afirmou que o governo era uma "usina de crises". 

A fala pegou muito mal entre os líderes partidários, que ficaram surpresos com o arroubo de Guedes e respaldaram a crítica do presidente. 

A avaliação é de que, ao criticar tão duramente um texto construído sob a asa de Maia, o ministro foi desleal com o deputado, que o manteve até a semana passada protegido dos atritos entre Executivo e Legislativo.

Na quarta-feira (12), durante reunião de apresentação de parte do relatório da reforma, ele chegou a dizer que o ministro da Economia é um dos poucos membros do Executivo a negociar com o Parlamento. 

Pesa também no distanciamento do Legislativo do ministro a avaliação de que ele não tem mais o apoio irrestrito do mercado. A avaliação é de que, hoje, Maia tem mais respaldo para tratar de questões econômicas do que o próprio titular da Economia. 

Apesar do episódio de sexta-feira ter dado materialidade às críticas, a relação com o ministro vem sendo corroída há tempos. Os deputados acusam Guedes de arrogância e desaprovam sua inexperiência com política. 

Parlamentares já reclamaram que, durante reuniões, o ministro monopoliza a fala e perde interesse quando a palavra passa para um dos interlocutores. 

Além disso, havia o sentimento de que a equipe econômica ficaria de fora do embate ideológico com a "velha política" e o PT. No entanto, passou-se ao entendimento de que Guedes seria mais parecido de outros membros da gestão Bolsonaro do que se imaginava. 

Por exemplo, parlamentares descreveram como desastroso um encontro que o ministro teve com a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), em fevereiro.

O ministro usou o encontro para criticar na frente da petista, em ao menos três momentos, o ex-presidente Lula, dizem. Enquanto isso, Maia e Marinho fazem esforço para apaziguar relação com governadores da oposição e convencê-los a apoiar a reforma da Previdência, pauta prioritária da pasta comandada por Guedes.

 

Com informações, Folha de SP.

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Ladrões se dão mal ao cair da moto
Mega-Sena
Resultado do sorteio do concurso n. 2170
JUSTIÇA
Registro de crimes cai no primeiro trimestre do ano
JUSTIÇA
Em MS, homem é preso em casa com arma, munições e R$ 21 mil
MILICIA
PF investiga suposta 'milícia' que com ameaças, extorsões e violência estaria tentando controlar aldeia urbana em Campo Grande
JUSTIÇA
Professor pesquisado por acusado de matar Marielle renuncia à direção após ameaças
Exemplo
PREFEITO MEXICANO SE DISFARÇA DE DEFICIENTE PARA TESTAR FUNCIONÁRIOS E FOI ISSO QUE ELE DESCOBRIU
Pai ridiculariza filha publicamente por ela não apoiar o atual governo
INVESTIGAÇÃO
Arma achada na casa de Flordelis foi usada para matar pastor
INTERIOR
Esposa de defensor público é encontrada morta em residência em MS