Menu
Busca Ter, 23 de julho de 2019
(67) 9.9928-2002
ECONOMIA

Bolsonaro acaba com política de aumento real do salário mínimo

Projeto com diretrizes para Orçamento de 2019 ainda prevê rombo fiscal de R$ 124,1 bilhões, segundo informações do Folha de SP

15 abril 2019 - 16h00

O governo do presidente Jair Bolsonaro propôs nesta segunda-feira (15) que o salário mínimo seja corrigido apenas pela inflação em 2020. Na prática, a medida, que depende de aval do Congresso, encerra a política que permitia ganhos reais aos trabalhadores, implementada nas gestões do PT e em vigor até este ano.

A proposta que traça as diretrizes para o Orçamento do ano que vem, enviada nesta segunda ao Legislativo, prevê que o piso de salários no Brasil será de R$ 1.040 a partir de janeiro de 2020, o que representa uma correção de 4,2% referente à estimativa para a variação da inflação. Hoje, o valor está em R$ 998.​

No texto do projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2020, o governo ainda ampliou a previsão de rombo fiscal para o ano que vem, dos atuais R$ 110 bilhões de déficit para um resultado negativo de R$ 124,1 bilhões.

A política de valorização do salário mínimo foi implementada no governo Lula (PT) e transformada em lei por sua sucessora Dilma Rousseff (PT). A regra, entretanto, teve validade encerrada em janeiro deste ano.

No cálculo vigente até o reajuste de 2019, o salário mínimo foi corrigido levando em conta a inflação no ano anterior somada ao PIB de dois anos antes, o que permitiu alta real em períodos de crescimento econômico.

Se o valor de 2020 mantivesse o mesmo cálculo, seria acrescido 1,1% ao reajuste, referente ao crescimento do PIB de 2018.

A decisão de acabar com os ganhos acima da inflação está em linha com uma das bandeiras do ministro da Economia, Paulo Guedes, que defende uma ampla desvinculação do Orçamento.

Com a medida, que precisará ser aprovada pelo Congresso, o governo ainda ganhará uma folga nas contas públicas.

O aumento do salário mínimo reajusta automaticamente benefícios Previdenciários. Pelas contas da equipe econômica, para cada R$ 1,00 de aumento no valor do mínimo, o governo amplia cerca de R$ 300 milhões nas despesas anuais.

O secretário especial de Fazenda da Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, negou que o valor do mínimo previsto no projeto signifique uma mudança na política de reajuste salarial do governo.

“Estamos colocando esse valor como uma previsão, não é uma políticia para o salário mínimo. O governo tem até dezembro para apresentar a política do salário mínimo e assim o fará”, disse.

Entretanto, antes de tomar posse em janeiro, o ministro Paulo Guedes já explicitou a intenção de travar a correção automática do salário mínimo no país.

A estimativa para o salário mínimo do ano seguinte pode ser alterada ao longo da tramitação do projeto da LDO no Congresso. O novo valor só entra em vigor depois que o presidente da República assina um decreto formalizando o cálculo.

 

REAJUSTE PARA SERVIDORES

Conforme antecipou a Folha, o projeto da LDO prevê que os militares serão a única categoria do serviço público autorizada a ter reajuste de salários e benefícios em 2020.

A liberação será feita antes mesmo da aprovação da reestruturação da carreira militar proposta pelo governo Bolsonaro e em tramitação no Congresso. Em direção contrária, a proposta barra reajustes para todos os servidores civis.

“Não teremos política de reajuste, precisamos controlar esse gasto”, afirmou o secretário. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Energisa desrespeita consumidor
A "violência" da Energisa atenta contra o direito à dignidade humana
URGENTE!
Celular do ministro Paulo Guedes é hackeado
ECONOMIA
Bolsonaro comemora queda no risco país
Governo quer leilão do 5G até metade do ano que vem, diz Semeghini
Saúde
Escolas de SP terão postos de vacinação para combater sarampo
Amor
Professora cria ‘cãodomínio’ para proteger cães de rua do frio em Buri (SP)
Famosos
Michel Teló participa de campanha de vacinação e revela que pai teve problema de paralisia infantil
Energisa desrespeita consumidor
Energisa : Suspensão indevida e pouco caso com consumidores
Justiça
Mãe é condenada por torturar a filha de 3 anos em Santa Catarina
Coxim
Polícia prende rapaz por ato obsceno