Menu
Busca Sáb, 11 de julho de 2020
(67) 9.9928-2002
Tecnologia

Huawei afirma que não tem nenhum plano ou interesse em adquirir a Oi

Operadora estaria conversando com "uma empresa chinesa", além da Telefonica, AT&T e Telecom Italia

23 setembro 2019 - 15h45Por OLHAR DIGITAL

No último sábado (21), a edição online do jornal O Globo publicou um artigo dizendo que a Huawei e a operadora Chinesa China Mobile tinham interesse em comprar a Oi. A operadora está em recuperação judicial desde 2016 e recentemente a Anatel expressou preocupação quanto a capacidade da empresa de manter seus serviços em operação.

Entretanto, neste domingo (22), a Huawei enviou por e-mail uma declaração à Reuters afirmando que “a Huawei não tem nenhum plano ou interesse em adquirir a Oi ou qualquer outra operadora brasileira”.

Isso não quer dizer que os chineses estejam fora do páreo. Segundo a própria Reuters, na última quinta-feira (19), a Oi estaria em negociações preliminares com “uma empresa chinesa”, além da espanhola Telefonica (que é dona da Vivo), da italiana Telecom Italia (TIM) e da norte-americana AT&T.

RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasíl
Casos e mortes por coronavírus no Brasil em 10 de julho, segundo consórcio de veículos de imprensa (atualização das 8h)
Campo Grande
Trad remaneja 70 milhões de reais com conivência dos vereadores
Saúde
ESPECIAL-Bolsonaro aposta em "cura milagrosa" para salvar o Brasil, e própria vida, da Covid-19
Política
Maia diz que é grave Bolsonaro tratar de hidroxicloroquina e que políticos não devem recomendar remédios
Política
Ministro pede investigação da PF com base na Lei de Segurança Naciona
Polícia
Força tarefa da federal cumpre ordens judiciais contra executivos das lojas Ricardo
Brasíl
Bolsonaro veta obrigação do governo em oferecer água, produtos de higiene e leitos a indígenas
Saúde
Brasil tem 1,66 milhão de casos confirmados do novo coronavírus
Saúde
Presidente Jair Bolsonaro testa positivo para covid-19
Políciais Federais
Justiça nomeia peritos para conferir serviços de hospitais de campanha