Menu
Busca Sáb, 31 de julho de 2021
(67) 9.9928-2002

'Lei que regula empresa listada em Bolsa deveria ser atualizada'

A frase é do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco

28 fevereiro 2019 - 15h00

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, defendeu nesta quinta (27) atualização da Lei das SA, que regula a operação de companhias com ações em Bolsa. Para ele, as regras atuais, estabelecidas em 1976, são "antiquadas" e representam "intervenção indevida" nas empresas.

As afirmações foram dadas em teleconferência com analistas para detalhar o balanço de 2018, no qual a empresa registrou lucro de R$ 25,8 bilhões, o primeiro desde 2013, antes da Operação Lava Jato. Pelo resultado, a Petrobras distribuirá R$ 7,1 bilhões em dividendos.

"Uma empresa endividada como a Petrobras deveria pagar menos dividendos. Mas somos obrigados pela lei a pagar o dividendo mínimo", afirmou Castello Branco. A lei estipula a distribuição mínima de 25% do lucro. O executivo disse que a Petrobras poderia usar parte dos recursos para continuar reduzindo a dívida.

"O Brasil é um dos únicos países do mundo em que é fixado um dividendo mínimo", argumentou, após dizer que a Lei das SA é antiquada e merecia uma atualização. "É uma intervenção indevida na administração da empresa."

A redução do endividamento é o principal foco da gestão da companhia. Em 2018, a dívida líquida caiu 4%, para R$ 268 bilhões -a redução, porém, foi segurada pela alta da moeda americana durante o ano. Em dólares, a queda foi maior, de 18%, para US$ 64,9 bilhões.

Um dos indicadores usados para avaliar a capacidade de pagamento de uma companhia, a relação entre divida líquida e Ebitda (lucro antes de juros, impostos e amortizações) caiu de 3,67 vezes em 2017 para 2,34 vezes em 2018. A meta, diz Castello Branco é atingir a faixa entre 1 e 1,5 vez verificada entre petroleiras concorrentes.

Por isso, disse ele, a estatal seguirá distribuindo o percentual mínimo previsto em lei até atingir padrões de endividamento compatíveis com outras petroleiros globais. "Por enquanto, nossa visão é de médio e longo prazo, de gerar valor para o acionista", afirmou.

Na teleconferência, o presidente da Petrobras voltou a afirmar que a empresa estuda acelerar o plano de vendas de ativos, como uma das formas de gerar dinheiro para pagar dívidas. Em 2018, entraram no caixa R$ 20,2 bilhões por negociações feitas em anos anteriores.

Segundo ele, o plano será "mais agressivo" do que os anteriores. "[Vamos] sair de mercados em que não somos donos naturais. Mas sair mesmo, não vender parte do ativo, uma parcela...", comentou, evitando, porém, dar maiores detalhes. "Todas as opções estão sobre a mesa."

O executivo frisou que não pretende, porém, utilizar recursos da indenização que deve receber do governo pela revisão do contrato de cessão onerosa para pagar dívidas. A revisão está em curso e a expectativa é que o governo tenha que ressarcir a Petrobras pela queda do preço do petróleo após a assinatura do contrato, em 2010.

O valor, porém, ainda não foi divulgado. O governo corre para tentar resolver a pendência e realizar um leilão com volumes de petróleo já descobertos que excedem os 5 bilhões de barris contratados pela Petrobras. "Com relação à cessão onerosa, nosso maior interesse é participar do leilão e no futuro crescer a produção de petróleo", afirmou o presidente da Petrobras.


 

vacina sim

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mato Grosso do Sul
Inscrições prorrogadas para a segunda edição do Prêmio Inova
Oportunidade
Estão abertas as inscrições para curso de idiomas na UEMS
Brasília
PP não vai aceitar filiação de Bolsonaro
Dourados
Agesul retira mais de 800 toneladas de lixo das margens da MS-156 em Dourados
Interior
SubsRacial leva Campanha Julho das Pretas a Rochedo, com temas de saúde e educação
Mato Grosso do Sul
Temperaturas voltam a subir e ar seco segue predominando nesta quarta-feira
Mato Grosso do Sul
Governo investe R$ 5,8 milhões na pavimentação da MS-455, criando novo acesso a Capão Seco
Interior
Corpo de Bombeiros monitora incêndios com imagens de satélite e amplia fiscalização em áreas de focos
Campo Grande
Até quando a massa de ar frio polar vai atuar em Mato Grosso do Sul?
Esportes
Hoje é Dia: nota 10 de Comaneci e Dia do Futebol marcam semana