Menu
Busca Qui, 04 de março de 2021
(67) 9.9928-2002
ECONOMIA

Procon/MS notifica Energisa por altas abusivas na conta de energia

Em algumas regiões do Estado, reajuste chega ao dobro do valor

19 janeiro 2019 - 14h00

A superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS) notificou a concessionária dos serviços de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, Energisa.

A motivação segundo o superintendente, Marcelo Salomão, foi o aumento excessivo de reclamações dos consumidores, principalmente nos municípios do interior do Estado. 

"Entendemos que a Energisa vem demonstrando desinteresse em resolver as reclamações apresentadas pelos consumidores. No interior, a situação é ainda pior e reforço a importância de que a população procure as unidades municipais do Procon para formalizar os problemas registrados", destaca. 

Salomão reforça que a empresa tem prazo de 10 dias (corridos), a contar da formalização da notificiação em 16 de janeiro, para esclarecer os questionamentos do órgão fiscalizador. 

"Verificamos uma elevação média no valor das contas em cerca de 30%, então questionamos quais os critérios para os aumentos, sob pena de serem instaurados processos administrativos. Além disso, solicitamos que os casos de reclamação sejam averiguados e os valores cobrados, devolvidos em dobro a cada consumidor prejudicado", acrescenta o representante do Procon/MS. 

 

TOP 10

Segundo diagnóstico feito pela equipe técnica do Procon/MS, os 10 problemas com maior número de reclamações sobre a Energisa são: cobrança indevida/abusiva, ausência de resposta, consulta sobre serviços, resolução de demandas pelo Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC), dúvidas sobre valor/reajuste, acesso ao serviço, ausência de registro numérico, rescisão ou alteração unilateral de contrato, dano material e inacessibilidade para deficientes.

A reclamação  dos procons municipais é generalizada e, segundo os diretores dos órgãos nos municípios do interior, “há  demonstração de má vontade quando procuramos contatos  com representantes da empresa para encaminhar demandas de consumidores. A Energisa demonstra não ter interesse em ter um canal direto de comunicação com os órgãos de defesa o consumidor”, acrescenta Salomão.

 

NOTA RETORNO

Em resposta a notificação do Procon/MS, a Energisa respondeu que as altas temperaturas registradas no Estado, principalmente no mês de dezembro, causaram elevação do consumo de energia entre a população. "A alteração do valor percebida nas contas de luz do mês de janeiro, refere-se a dezembro", detalha o documento. 

Na justificativa, a empresa informa que o forte calor exige maior consumo de energia por parte dos equipamentos de refrigeração. Dentre os aparelhos que mais consomem eletricidade estão: ar condicionado, geladeiras, freezers, ventiladores e câmaras frias. Residências e comércios como laticínios, frigoríficos e sorveterias, são exemplos de unidades com este perfil de consumo. 


Em dezembro do ano passado, o consumo de energia foi recorde. Este comportamento pode ser explicado por um aumento na temperatura média em torno de 4% (fonte CPTEC/INPE), com horário de pico registrado por volta das 15h. Em 23 dias do mês de dezembro, a temperatura superou 25 graus, quando em novembro do mesmo ano, somente 14 dias ultrapassaram essa marca.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte:corrreioestado

Deixe seu Comentário

Leia Também

Interior
Operação Cidade Segura em Aquidauana e Miranda flagra 45 motoristas embriagados
Campo Grande
Morre o coronel Adib Massad, o comandante que honrou a farda da Polícia Militar
Brasil
Brasil tem maior número de mortes por covid-19 em um dia: 1.910 óbitos
Alerta
Está confirmado primeiro caso da variante de Manaus no MS
Brasíl
Pesquisadores da UnB desenvolvem máscara que inativa coronavírus
Presente no equipamento, nanofilme de quitosana consegue barrar vírus
Mato Grosso do Sul
Com mais 24 óbitos, MS contabiliza 3.374 mortes por Coronavírus
Mato Grosso do Sul
Governador autoriza concurso público com 250 vagas para Polícia Civil
Campo Grande
Procon Estadual autua posto de combustível que reajustou preços três vezes em um dia
Interior
Com novo projeto de esgotamento sanitário, Iguatemi terá 60% de cobertura
Campo Grande
Moradores do Vilas Boas reclamam da falta de limpeza urbana