Menu
Busca Sáb, 15 de maio de 2021
(67) 9.9928-2002
Fama

Neymar evolui bem e já não tem mais pé imobilizado, informa PSG

29 abril 2018 - 15h47Por Redação Notícias VIP
A evolução da lesão de Neymar é satisfatória, e os médicos decidiram retirar toda a imobilização e proteção, segundo informações divulgadas neste domingo pelo Paris Saint-Germain, que não deu uma previsão para o retorno do craque brasileiro aos gramados. "Os próximos períodos do programa de recuperação serão feitos no Brasil e no centro de treinamento do clube", divulgou o time parisiense.

O comunicado foi emitido um dia depois que o jogador foi submetido a um exame de rotina a cargo dos médicos Rodrigo Lesmar, da seleção brasileira, e Eric Rolland, do PSG.

"Os exames mostram uma evolução muito satisfatória das lesões do tornozelo e do pé direito do jogador, o que permitiu a retirada da proteção que o jogador usava desde o dia 3 de março", informou o clube.

Neymar será submetido a uma revisão médica final no próximo dia 17, momento em que será definido quando ocorrerá a volta aos gramados. Jogador e Rodrigo Lasmar não confirmam, mas a prioridade é está 100% na Copa do Mundo. A preparação da seleção começará em 21 de maio, em Teresópolis. EFE
vacina sim

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tempo e temperatura
MS tem predomínio de tempo seco e calor de 36°C para a região pantaneira
Covid 19
Dezenas de corpos de possíveis vítimas da covid aparecem na Índia
Campo Grande
Moradores de bairros reclamam de sujeira e insegurança em Campos Grande
Saúde
Após ultrapassar mais de seis mil mortes, MS registra 653 novos casos da Covid-19
Mato Grosso do Sul
Novos secretários da Casa Civil e da Cidadania tomam posse nesta segunda-feira
Campo Grande
Infestação de pragas urbanas alarma moradores de Campo Grande
Vacina
Mato Grosso do Sul recebe novo lote de vacina da Pfizer nesta segunda-feira
F1
Hamilton sobre GP da Espanha de F1: “Aprendi muito sobre Max hoje”
Poluição
Marinha: três navios são suspeitos por manchas de óleo no NE em 2019
Saúde
Fiocruz: pandemia de covid-19 faz vítimas cada vez mais jovens