Menu
Busca Ter, 14 de julho de 2020
(67) 9.9928-2002
Esporte

Brasil desiste de candidatura a sede da Copa do Mundo feminina de 2023.

08 junho 2020 - 17h45Por Uol esporte

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou hoje a retirada da candidatura do Brasil a sede da Copa do Mundo feminina de 2023. Segundo comunicado divulgado no fim da tarde de hoje pela entidade, a decisão foi tomada após "uma combinação de fatores". Entre os motivos, o texto cita a falta de garantias do Governo federal, segundo avaliação da Fifa, para a realização do torneio. A pandemia do novo coronavírus e a situação econômica do país também foram destacadas. 

veja a nota

"A CBF compreende a necessidade da Fifa de obter tais garantias e sabe que elas fazem parte do protocolo padrão da entidade internacional, sendo elemento fundamental para conferir a segurança necessária para efetiva realização de eventos deste porte", diz o texto. "O Governo Federal, por sua vez, elaborou para a Fifa uma carta de apoio institucional na qual garantiu que o país está absolutamente apto a receber o evento do ponto de vista estrutural, como já o fez em situações anteriores.

No entanto, ressaltou que, por conta do cenário de austeridade econômica e fiscal, fomentado pelos impactos da pandemia da covid-19, não seria recomendável, neste momento, a assinatura das garantia solicitadas pela Fifa", acrescenta.

 

CBF alegou ainda que a grande quantidade de eventos esportivos internacionais realizados no Brasil nos últimos anos "poderia não favorecer a candidatura".

Entre 2007 e 2019, o país foi sede de Jogos Pan-Americanos, Copa das Confederações, Copa do Mundo masculina, Olimpíada e Copa América masculina, entre outros.

A decisão da sede da próxima edição da Copa do Mundo feminina sai em votação marcada para o dia 25 de junho. Neste momento, são três candidaturas: Japão, Colômbia e Austrália/Nova Zelândia.

Fora do páreo, a CBF manifestou seu apoio à Colômbia. "Desta forma, a Conmebol se apresenta com uma candidatura única, aumentando as chances sul-americanas na votação, além de reforça a unidade que marca a atual gestão da entidade", argumenta a entidade.

edição mais recente da Copa do Mundo feminina foi disputada em 2019, na França, e teve a seleção dos Estados Unidos como vencedora do título. O Brasil caiu nas oitavas de final, diante das anfitriãs francesas.

 

 

RACISMO NÃO!

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasíl
Justiça determina quebra de sigilo bancário da Backer
Política
Governo vai enviar PL com penas mais rígidas para violência sexual
Saúde
Covid-19: Brasil chega a 72,8 mil óbitos e 1,88 milhão de casos
Brasília
Defesa aciona PGR contra Gilmar Mendes por ministro ter associado Exército a genocídio
Saúde
Crise do coronavírus pode ficar "pior e pior e pior", alerta OMS Reuters Staff
Brasíl e Mundo
Estudante de veterinária levou uma picada da terrível naja tinha outras cobras exóticas
Brasíl
Mulher de Queiroz se entrega e cumprirá prisão domiciliar com marido no Rio
Educação
Bolsonaro nomeia pastor Milton Ribeiro como ministro da Educação
Esporte
Natália Gaudio defende maior longevidade para atletas brasileiras
Bolsonaro e Coronavirus
Reabertura precoce transforma Brasília em epicentro da Covid-19