Menu
Busca Qui, 28 de maio de 2020
(67) 9.9928-2002
Esporte

Holanda encerra campeonato e pede apoio de times em torneios europeus

27 abril 2020 - 12h32Por Plantão Esportivo

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) causou o encerramento precoce da temporada em outra liga europeia de futebol: a Eredivisie, como é chamado o Campeonato Holandês. A decisão foi anunciada nesta sexta (24), após o primeiro-ministro Mark Rutte proibir jogos de futebol no país até setembro e um dia após a Uefa (entidade máxima do futebol europeu) autorizar que competições nacionais terminem prematuramente por razões “legítimas”, que, aos olhos da entidade, são questões de saúde, econômicas ou governamentais.

Na reunião que decidiu o fim do torneio, estabeleceu-se que não haveria campeão, rebaixamento ou acessos, somente a definição dos representantes holandeses em competições europeias. Líder e vice-líder da temporada finalizada, Ajax e AZ Alkmaar ficaram com as vagas na Liga dos Campeões, enquanto Feyenoord, PSV Eindhoven e Willem II (terceiro, quarto e quinto colocados, respectivamente) vão à Liga Europa. Últimos colocados na elite, ADO Den Haag e Waalwijk escapam da queda, enquanto as duas melhores campanhas da segunda divisão (Cambuur e De Graafschap) ficam sem a promoção.

Conforme o comunicado emitido pela Uefa na última quinta (23), a definição dos representantes dos países em torneios continentais deve levar em conta o “mérito esportivo” e que é “preferível” que as ligas encontrem critérios de disputa que facilitem a seleção desses times. A entidade também informa que os métodos devem ser “objetivos, transparentes e não-discriminatórios” e que pode recusar a participação de alguma equipe se entender que o critério para escolha não foi justo.

Em nota, a Confederação Holandesa de Futebol (KNVB, na sigla oficial) destacou que “a unidade e a solidariedade são muito importantes no futebol profissional nestes tempos difíceis”. Afirmou, ainda, que “parcialmente por esse motivo”, os clubes que disputarão de competições europeias “têm uma forte obrigação moral de contribuir com parte (25%) da premiação que receberão por essas participações, para que esse montante seja distribuído entre as várias organizações profissionais de futebol do país”.

Ainda em comunicado, a KNVB diz que “está claro para todos que a saúde pública está em primeiro lugar. Do ponto de vista esportivo, não jogar mais a temporada é compreensível, mas decepcionante e representa um sério golpe financeiro para a indústria do futebol profissional, que tem milhares de empregos e milhões de fãs”.

Edição: Fábio Lisboa
Agência Brasil-EBC
CORONA 3

Deixe seu Comentário

Leia Também

STJ
Fachin pede inclusão na pauta do plenário do STF ação que pode suspender inquérito das fake news
Brasíl
Para Aras, o inquérito das fake news tem “exorbitado dos limites”
Brasíl
Rejeição a Bolsonaro bate recorde e chega a 43%, diz Datafolha
Fake news
Roberto Jeferson mandou aviso ao Ministro do STF, Alexandre de Moraes: "comigo o buraco é mais embaixo"
Judiciário
STJ nega federalizar investigações da morte de Marielle Franco
Fake-News
Aras diz que não cabe a partidos pedir apreensão de celular de Bolsonaro
Eleições 2020
Prefeitos de municipios querem ampliar o mandato, segundo Assomassul
Saúde Pública
África sofre transmissão comunitária prolongada do coronavírus, diz entidade
Politicos
Em reação ao STF coordenada por Bolsonaro, ministro da Justiça pede habeas corpus a Weintraub
Polícia
PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba