Menu
Busca Qui, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9.9928-2002
Polêmica no mundo dos esportes

Só o Brasil... Humilha Pelé para homenagem ilegal a Marta

Alagoas tenta tirar o nome Rei Pelé do seu estádio principal. E colocar Rainha Marta. Lei federal de 1977 proíbe que pessoas vivas batizem obras públicas

13 setembro 2019 - 17h30

O Brasil poderá ter seu primeiro estádio na história batizado por uma mulher, uma jogadora.


A Assembleia Legislativa de Alagoas aprovou ontem que o estádio principal do estado passe a se chamar Rainha Marta.

Veja mais: Acabou a farra. Clubes terão de virar empresas e pagar impostos

Foi a segunda votação.

O projeto é do deputado estadual do PTB, Eduardo Albuquerque.

Só que há um 'pequeno entrave'.

O estádio já tem nome, desde 1970.

Se chama Rei Pelé.

A força que o projeto de Albuquerque teve para ser aprovado duas vezes está no fato de o melhor jogador de todos os tempos ter nascido em Três Corações, em Minas Gerais.

Marta nasceu em Dois Riachos, cidade alagoana.

 

Pelé já soube da questão.

Santos e Seleção Alagoana inauguraram o estádio, em 1970. Pelé homenageado
Santos e Seleção Alagoana inauguraram o estádio, em 1970. Pelé homenageado
Reprodução/Twitter
Pessoas ligadas a ele confidenciaram que ficou muito triste, deprimido com a situação.

Mas como sabe que Marta não tem nada a ver com isso, ele decidiu ser um gentleman em relação à delicada questão.

"A Marta é o Pelé de saias. Acho muito justa a homenagem. É uma pena que não poderei fazer uma tabelinha com ela na reinauguração", disse, em julho, não se aprofundando no assunto.

 

É uma desfeita do país, não só de Alagoas.

Mas o deputado estadual do PV, Silvio Camelo, apresentou uma emenda ao projeto para que o estádio se chame Rei Pelé e Rainha Marta.

Veja mais: "A saída da Globo me abalou. Estou vivendo o meu 7 a 1"

A Câmara votará a emenda na próxima semana.

A situação fica ainda mais bizarra.

Há uma lei federal de 1977 que proíbe que obras governamentais levem nomes de pessoas vivas. As que já tinham, como o estádio Rei Pelé, não mudariam.

A lei, de 1977, tem o número 6454.

Ou seja, se a Câmara aprovar o nome de Marta, acompanhada ou não de Pelé, será absolutamente ilegal.

Veja mais: Acusado de agressões e estupro. E Cazares gargalha...

A não ser que um cangaceiro decida acabar com a vida da melhor jogadora da história do futebol brasileiro.

 

O governador de Alagoas, Renan Filho, sabe de toda a situação.

Marta, esperta, não compra briga com Pelé
Marta, esperta, não compra briga com Pelé- Fifa

E da justa, porém ilegal, homenagem que os deputados querem fazer a Marta.

Para que a mudança de nome se realize, Renan Filho precisa aprovar.

E ele não deverá comprar uma briga perdida.

Marta també se cala em relação à homenagem.

Ela é orientada por seu agente.

Sabe que só teria a perder se comemorasse.

Enquanto o mundo homenageia os 78 anos de Pelé, o Brasil o humilha
Enquanto o mundo homenageia os 78 anos de Pelé, o Brasil o humilha
Fifa
Primeiro, iria ser antipática em relação a Pelé.

Depois, sabe da ilegalidade da proposta.

Por isso, sabiamente, ela se cala...

Segundo informações, R7.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasília
Bolsonaro evita imprensa
Polícia
Giroto está desesperado para sair da cadeia
Saúde
Coronavírus: Japão desembarca tripulação do navio Diamond Princess
Política
Senadores têm 12 dias de 'recesso' e retornam em março
Brasília
Senadores reagem à vídeo de Bolsonaro
Brasil e Mundo
Segredos do lado oculto da Lua são revelados por missão da China
Política
Bolsonaro não pode justificar vídeos contra Congresso como 'conversa pessoal', dizem constitucionalistas
Economia
Dólar aproxima-se de R$ 4,45, e bolsa cai 7% com coronavírus
Ceará
Ceará cria comissão para tentar intermediar fim do motim de policiais
Carreira Militar
Concurso Exército 2020: Abertas 1.100 vagas para nível médio!