Menu
Busca Qua, 18 de setembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Polêmica no mundo dos esportes

Só o Brasil... Humilha Pelé para homenagem ilegal a Marta

Alagoas tenta tirar o nome Rei Pelé do seu estádio principal. E colocar Rainha Marta. Lei federal de 1977 proíbe que pessoas vivas batizem obras públicas

13 setembro 2019 - 17h30

O Brasil poderá ter seu primeiro estádio na história batizado por uma mulher, uma jogadora.


A Assembleia Legislativa de Alagoas aprovou ontem que o estádio principal do estado passe a se chamar Rainha Marta.

Veja mais: Acabou a farra. Clubes terão de virar empresas e pagar impostos

Foi a segunda votação.

O projeto é do deputado estadual do PTB, Eduardo Albuquerque.

Só que há um 'pequeno entrave'.

O estádio já tem nome, desde 1970.

Se chama Rei Pelé.

A força que o projeto de Albuquerque teve para ser aprovado duas vezes está no fato de o melhor jogador de todos os tempos ter nascido em Três Corações, em Minas Gerais.

Marta nasceu em Dois Riachos, cidade alagoana.

 

Pelé já soube da questão.

Santos e Seleção Alagoana inauguraram o estádio, em 1970. Pelé homenageado
Santos e Seleção Alagoana inauguraram o estádio, em 1970. Pelé homenageado
Reprodução/Twitter
Pessoas ligadas a ele confidenciaram que ficou muito triste, deprimido com a situação.

Mas como sabe que Marta não tem nada a ver com isso, ele decidiu ser um gentleman em relação à delicada questão.

"A Marta é o Pelé de saias. Acho muito justa a homenagem. É uma pena que não poderei fazer uma tabelinha com ela na reinauguração", disse, em julho, não se aprofundando no assunto.

 

É uma desfeita do país, não só de Alagoas.

Mas o deputado estadual do PV, Silvio Camelo, apresentou uma emenda ao projeto para que o estádio se chame Rei Pelé e Rainha Marta.

Veja mais: "A saída da Globo me abalou. Estou vivendo o meu 7 a 1"

A Câmara votará a emenda na próxima semana.

A situação fica ainda mais bizarra.

Há uma lei federal de 1977 que proíbe que obras governamentais levem nomes de pessoas vivas. As que já tinham, como o estádio Rei Pelé, não mudariam.

A lei, de 1977, tem o número 6454.

Ou seja, se a Câmara aprovar o nome de Marta, acompanhada ou não de Pelé, será absolutamente ilegal.

Veja mais: Acusado de agressões e estupro. E Cazares gargalha...

A não ser que um cangaceiro decida acabar com a vida da melhor jogadora da história do futebol brasileiro.

 

O governador de Alagoas, Renan Filho, sabe de toda a situação.

Marta, esperta, não compra briga com Pelé
Marta, esperta, não compra briga com Pelé- Fifa

E da justa, porém ilegal, homenagem que os deputados querem fazer a Marta.

Para que a mudança de nome se realize, Renan Filho precisa aprovar.

E ele não deverá comprar uma briga perdida.

Marta també se cala em relação à homenagem.

Ela é orientada por seu agente.

Sabe que só teria a perder se comemorasse.

Enquanto o mundo homenageia os 78 anos de Pelé, o Brasil o humilha
Enquanto o mundo homenageia os 78 anos de Pelé, o Brasil o humilha
Fifa
Primeiro, iria ser antipática em relação a Pelé.

Depois, sabe da ilegalidade da proposta.

Por isso, sabiamente, ela se cala...

Segundo informações, R7.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Paralisação
Funcionários dos Correios suspendem paralisação em todo o país
Leilão em MS
Leilão tem desde iPhone, brinquedos até videogames
Humildade é tudo!
Garoto comemora aniversário de 4 anos com garis em Rondonópolis (MT)
Justiça
TSE determina: “Candidaturas laranjas” devem levar à cassação de toda a chapa
Campo Grande
Sujeira e buracos novos aparecendo no mesmo lugar
Sorte ou azar!?
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 120 milhões nesta quarta
Onde vai para este mundo!
Casal é preso suspeito de espancar até morte bebê de 1 ano e 7 meses em MS
Prova de fogo!
Bombeiros do DF devem chegar na quinta para reforçar combate aos incêndios em Mato Grosso do Sul
Aliado de Bolsonaro
Netanyahu volta a atacar árabes em discurso após eleições em Israel
Exclusivo
Executivo da Odebrecht que delatou Aécio Neves é encontrado morto