Menu
Busca Sb, 14 de dezembro de 2019
(67) 9.9928-2002
Polêmica

Bolsonaro: Cocozinho petrificado de índio barra licenciamento de obras

Cocozinho petrificado de índio barra licenciamento de obras, diz Bolsonaro

13 agosto 2019 - 09h30Por Notícias ao Minuto

PELOTAS, RS (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a falar em cocô nesta segunda-feira (12), em Pelotas, no Rio Grande do Sul, durante cerimônia para inaugurar duplicação de 47 km, de um total de 211 km, da BR-116 que liga Porto Alegre ao Porto de Rio Grande.

Diferentemente da vez anterior, quando Bolsonaro sugeriu fazer cocô em dias alternados para preservar o ambiente, o presidente afirmou agora que fezes de indígenas podem atrapalhar licenciamentos de obras importantes.

"Quando falam em terminal de contêiner, vale a pena. Há anos um terminal de contêiner no Paraná, se não me engano, não sai do papel porque precisa agora também de um laudo ambiental da Funai. O cara vai lá, se encontrar -já que está na moda- um cocozinho petrificado de um índio, já era. Não pode fazer mais nada ali. Tem que acabar com isso no Brasil. Tem que integrar o índio na sociedade e buscar projeto para nosso país", disse o presidente.

Bolsonaro não especificou qual obra estaria sendo prejudicada por "cocozinho petrificado" de indígenas. No Paraná, porém, diferentes comunidades indígenas guaranis vivem próximas ao Terminal de Contêineres de Paranaguá. A empresa recebe apoio técnico da Funai (Fundação Nacional do Índio) em projetos para a população indígena do local.

A participação da Funai nos licenciamentos ambientais de obras que afetam áreas indígenas está prevista na Constituição. A Funai pode se manifestar em todas etapas, da licença prévia à operação.

"A Constituição Federal brasileira de 1988 prevê a garantia dos direitos indígenas. No § 3º do art. 231, ela estabelece que o aproveitamento dos recursos hídricos, incluídos os potenciais energéticos, a pesquisa e a lavra das riquezas minerais em terras indígenas só podem ser efetivados com autorização do Congresso Nacional, ouvidas as comunidades afetadas", informa o órgão.

Com informações, Política/Notícias ao Minuto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Vereadores aprovam orçamento de mais de 4,3 bilhões para Campo Grande.
Meio Ambiente
Trad comete improbidade, uma atrás da outra, mas é blindado
Corrupção no Judiciário
Juíza presa contrata advogado especialista em delação
Corguinho
Festa de Som Automotivo terminou na Delegacia de Polícia Civil
Três Lagoas
Chuva e granizo faz estrago em Três Lagoas
Brasil
Sonia Guajajara: Bolsonaro é um perigo para o planeta
Crime
Avô de 85 anos foi preso por estuprar netos de 4 e 6 anos
Ponta Porã
Execução sumária na fronteira.
Brasília
Ministro da Justiça não obteve sucesso na abordagem: ex-juíza teve mandato de senadora cassado
Campo Grande
Surgem as Tradicionais favelas na capital