Menu
Busca Seg, 14 de outubro de 2019
(67) 9.9928-2002
Política

Bolsonaro vê Datena como opção em SP

O presidente destacou a popularidade do apresentador José Luiz Datena como candidato à Prefeitura de São Paulo em 2020

11 outubro 2019 - 13h30Por Estadão

Apesar de admitir a importância das disputas municipais do ano que vem para o PSL, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 11, que não pretende participar intensamente do processo eleitoral. Na conversa com o jornal O Estado de S. Paulo, ele disse que pediu a seus filhos que "mergulhem" na política e esqueçam eleição.

 

Mas em relação à disputa para a Prefeitura de São Paulo, o presidente destacou a popularidade do apresentador José Luiz Datena. Filiado ao DEM, Datena é considerado uma alternativa pelo clã Bolsonaro. O presidente afirmou que pretende conversar pessoalmente com ele a respeito.

Bolsonaro não citou nem a deputada federal Joice Hasselmann nem o deputado estadual Gil Diniz - ambos já demonstraram interesse em disputar prévias pelo PSL.

Visto como um "outsider" da política com forte potencial eleitoral, Datena coleciona pré-candidaturas que acabaram não se concretizando. Em 2018, após se filiar ao DEM, o apresentador chegou a anunciar que seria candidato ao Senado. Ele também cogitou concorrer à prefeitura paulistana em 2016, quando se filiou ao PP com essa intenção.

Depois de assumir o comando do PSL em São Paulo, em maio, Eduardo Bolsonaro relatou no Twitter uma reunião que tivera com Datena para discutir uma possível candidatura. "Conversamos sobre eventual filiação ao PSL. Está tudo em aberto e torcemos para que uma pessoa reconhecida pela defesa da segurança pública venha e enaltecer os quadros do PSL-SP", escreveu o filho "03" de Jair Bolsonaro.

As tratativas abertas por Datena com o PSL resultaram em um bate boca nas redes sociais entre os deputados Eduardo Bolsonaro (PSDB-SP) e Alexandre Frota, que foi expulso do partido e hoje está no PSDB.

Deputada federal mais votada do Brasil, com mais de um milhão de votos, Joice é líder do governo de Jair Bolsonaro no Congresso, mas poderá deixar o partido para se filiar ao DEM (mais informações nesta página), curiosamente a atual legenda de Datena. Em julho, em entrevista ao Estado, ela falou da possibilidade de "disputar" com o apresentador a indicação do PSL. Para ela, houve um "pré-namoro" entre o apresentador e a sigla, mas o passado partidário do apresentador seria um obstáculo. "É um cara legal, gosto dele, mas o Datena tem um histórico de 23 anos de PT. Como você vai lançar como nome da direita um cara que tem um histórico dentro do PT. Mesmo tendo passado pelo DEM não deu para depurar", afirmou na ocasião.

A redação não conseguiu contato nesta quinta-feira com Datena.

Na avaliação de Bolsonaro, no entanto, o PSL tem todas as chances de eleger um número grande de prefeitos se souber se organizar para isso. Recurso não será empecilho. Como partido mais votado nas eleições de 2018, o PSL terá, ano que vem, a maior fatia dos fundos públicos usados para financiar candidaturas - cerca de R$ 400 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Capital
Homem é morto na frente de casa com seis tiros em bairro de Campo Grande
Internacional
Tufão Hagibis causa dezenas de mortes no Japão
Jogo de ontem
Zagueiro Marquinhos reconhece atuação ruim da seleção em Cingapura
Interior
Ao sair de festa, jovem é abordado por 10 rapazes e esfaqueado em Aquidauana
Polêmica nas redes sociais
Eduardo Bolsonaro ironiza sigla LGBT em camiseta
Caixa das laranjas
Notas fiscais reforçam a suspeita de caixa 2 na campanha do PSL de 2018
Campo Grande - sem efetividade
Trad não consegue evitar aumento de acidentes
Justiça
Justiça determina que governo contenha avanço de óleo em Sergipe
Interior
Três moradores em Guia Lopes são mortos e um é ferido na boca em possível tentativa de latrocínio em Corumbá
Internacional
Mercosul e Prosul apoiam governo do Equador e pedem fim dos protestos