Menu
Busca Qua, 24 de abril de 2019
(67) 9.9928-2002
Agronegócio

Brasil deve ter menor safra de soja em 3 anos, diz AgRural

Expectativa da consultoria é de que a produção totalize 112,5 milhões de toneladas, um corte de quase 4% em relação à ultima previsão.

11 fevereiro 2019 - 12h01

A safra de soja 2018/19 do Brasil, em colheita avançada, deverá totalizar 112,5 milhões de toneladas, projetou a AgRural nesta segunda-feira (11), em um corte de quase 4% ante a previsão do mês passado. A cultura ainda sente as condições climáticas desfavoráveis durante a fase de desenvolvimento, segundo a consultoria.

Caso a expectativa se confirme, o volume será o menor em três anos e ficará 5,7% abaixo do recorde de 119,3 milhões de toneladas de 2017/18. Também será cerca de 10 milhões de toneladas inferior ao que diversas consultorias e entidades projetaram em uma recente pesquisa da Reuters.

Em dezembro, calor e chuvas abaixo da média prejudicaram principalmeente as plantações de Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, segundo a consultoria.

"Desta vez, todos os estados produtores tiveram cortes, com exceção de Rio Grande do Sul, Pará e Rondônia. Em relação ao ano passado, os Estados com as maiores perdas de produção são Paraná e Mato Grosso do Sul", afirmou a AgRural em boletim, referindo-se ao tempo ruim também em janeiro.

"Embora o Rio Grande do Sul tenha boas lavouras até o momento, as condições climáticas de fevereiro são decisivas para a produtividade gaúcha. As chuvas e as temperaturas de fevereiro também são importantes para a produtividade do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), região que já registra perdas devido às condições desfavoráveis de janeiro", alertou a AgRural.

A divulgação dos dados ocorre um dia antes de a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que em janeiro já cortou suas estimativas, soltar novas previsões para a safra do maior exportador mundial da oleaginosa.

Colheita
Segundo a consultoria, 26% da área cultivada com soja no Brasil havia sido colhida até a última quinta-feira, avanço de sete pontos percentuais na semana. Os trabalhos em 2018/19 estão bem acelerados ante os 10% de um ano atrás e os 12% na média de cinco anos.

"A colheita acelerada --puxada por Mato Grosso (57%), Paraná (30%) e Goiás (30%) -- é resultado de um plantio antecipado e rápido e do encurtamento do ciclo das lavouras em algumas áreas devido ao tempo quente e seco", explicou a consultoria.

G1

Banner da campanha da dengue

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
'Bioinvasão' com aproximadamente 200 mil javalis causa prejuízos e reação de caçadores em SC
POLICIA
Homem é preso após fazer compras usando nome de major do Exército assassinado a facada em MS
Estudantes brasileiros presos com álcool e drogas em festa serão expulsos do PY
ECONOMIA
Etanol deve alcançar recorde de produção com 33,14 bilhões de litros
GOLPISTAS
Dourados: Jovem cai em golpe pela internet e perde mais de R$ 4 mil em assalto, por uma agiota
POLÍTICA
CAOS BOLSONARISTA FAZ DESEMPREGO CRESCER EM MARÇO
POLÍTICA
Maia cobra participação de Bolsonaro em esforço pela reforma da Previdência
SORTUDO!
Homem se torna mais rico do Brasil após erro da Caixa
JUSTIÇA
Advogado pede que CNJ instale ponto eletrônico para juízes em fóruns
SAÚDE
Hematoma que surge espontaneamente pode ser sinal de doenças