Menu
Busca Ter, 19 de janeiro de 2021
(67) 9.9928-2002
Economia

Governo acata sugestão de Barros que permite suspensão dos contratos com pagamento do seguro-desemprego

02 abril 2020 - 08h06

O deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) destacou a Medida Provisória editada pelo presidente Bolsonaro que permite a suspensão dos contratos de trabalho com o pagamento do seguro-desemprego. Barros sugeriu há duas semanas essa medida ao governo como forma de garantir suporte aos trabalhadores e empresários, e preparar a economia para a retomada pós pandemia do coronavírus.

“Isso é muito importante. Nós passaremos ter assim a segurança para o empregado e teremos também a tranquilidade para o empregador. Todos estarão em casa, em paz, com os empregos garantidos e as empresas garantidas, saudáveis até que passe essa crise”, disse Ricardo Barros, na noite dessa quarta-feira (1), logo após o anúncio da medida.

O parlamentar paranaense explicou que o seguro desemprego garante a manutenção da renda e do poder de compra do trabalhador, mantendo o consumo e a economia do Brasil girando. E, só o Governo pode pagar essa conta, a exemplo do que está sendo feito no Reino Unido e nos Estados Unidos.

“O Governo Federal faz o seu papel. Paga o seguro-desemprego para aqueles que terão seu contrato de trabalho suspenso. Com isso não há demissões, porque os contratos estão suspensos e assim que retomarmos a atividade econômica e, tudo voltar ao normal, as empresas retomam os contratos com esses empregados já qualificados. E, dessa forma, a recuperação econômica vai ser muito mais rápida”, acrescentou Barros.

A MP também permite a redução proporcional de jornada e do salário. O custo estimado do programa é de R$ 51,2 bilhões. A expectativa é de que 24,5 milhões de pessoas possam aderir.

A suspensão do contrato será válida por até dois meses mediante acordo individual. Empresas com receita bruta anual de até R$ 4,8 milhões não precisarão pagar nada durante a suspensão do contrato. O trabalhador vai receber do governo um auxílio igual ao seguro-desemprego que ele teria direito caso fosse demitido.

violência contra a mulher 2

Deixe seu Comentário

Leia Também

Governo federal
Vacinação contra covid-19 começa ainda hoje nos estados, diz Pazuello
Trânsito
DPVAT: Seguro obrigatório não será cobrado em 2021
Covid 19 em MS
Secretário de Saúde do MS anunciou trazer vacinas contra Covid 19
Tempo
Meteorologia prevê semana chuvosa em Mato Grosso do Sul
Vacina
Enfermeira negra é primeira pessoa vacinada contra covid-19 no Brasil
Vacina
Técnicos da Anvisa recomendam uso emergencial da vacina de Oxford
Campo Grande
Briga de trânsito na V. Aimoré termina com agressão a facão
Covid 19 em MS
Ocupação de leitos em UTI Covid continua alta nas cinco macrorregiões do Estado
Campo Grande
Veja exemplos de jovens que evitam aglomerações para impedir contágio do coronavírus
Polícia
Denúncia anônima pelo 181 da PM ajuda no combate de crimes