Menu
Busca Sex, 22 de novembro de 2019
(67) 9.9928-2002
FENOMENAL

Onça pintada é flagrada carregando sucuri para se alimentar no Pantanal

12 abril 2018 - 09h26Por Redação Notícias VIP
Um vídeo gravado no Pantanal Mato-grossense flagrou uma cena da vida selvagem no bioma: uma onça carrega uma sucuri viva na boca dentro da floresta. A cena é rara de ser vista e filmada. As imagens foram gravadas numa pousada, na região de Porto Jofre, no dia 29 de março, e postadas nas redes sociais.

As imagens noturnas foram feitas com câmeras com sensores de movimento acopladas em árvores no meio da floresta, a cerca de 300 metros da pousada.

As cenas raras enchem o proprietário do estabelecimento, Ailton Lara, que também é gestor ambiental e guia de turismo, de entusiasmo.

É como ganhar na loteria, fico muito contente. Essas cenas são raríssimas de serem vistas na natureza. Conseguimos ver onças-pintadas, onças-pardas, antas e outros animais, disse.

As câmeras que flagram a vida selvagem são investimentos do próprio estabelecimento. De acordo com Ailton, cada equipamento custa 2 mil dólares.

As imagens, segundo ele, são usadas para entreter os clientes da pousada, majoritariamente estrangeiros.

Eles gostam dos vídeos. Quando falamos que os animais passeiam por aqui e comem isso ou aquilo, eles duvidam e nós mostramos os vídeos, contou.

A cobra levada pela onça é uma presa e seria devorada, em seguida. O réptil tinha em média 3 metros de comprimento e, ao final do vídeo, mexe o rabo.

Segundo Ailton, é comum os felinos se alimentarem de jacarés e cobras no Pantanal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Religioso
Morre Rabino Henry Sobel
Operação Omertà
Mais um policial envolvido com ovcrime
Polícia
Pernambuco morreu na calçada
Ponta Porã
Helicóptero cai na fronteira
Prisão na 2° instância
Acabar com a presunção de inocência por raiva?
Operação Patrom
Dono da casa china nega ter ajudado doleiro
Campo Grande
Fechar escola é imperdoável
Polícia
Os bandidos usam toga no Judiciário
Polícia
DOF meteu algema no traficante
Prisão
Prisão em 2° instância , passou no CCJ